Mestrado em Engenharia Biotecnológica

Objetivos do Curso

O MEBT visa fornecer uma formação avançada e multifacetada nas áreas da Engenharia de Bioprocessos e da Biotecnologia
Industrial visando encontrar novas soluções biotecnológicas, de preferência num contexto bioeconómico sustentável e circular,
utilizando ferramentas tecnológicas, de qualidade, regulatórias e digitais, apostando no trabalho em equipa e fomentando o
bioempreendedorismo e os projetos em colaboração com a Indústria Biotecnológica (nacional ou internacional) ou com outras
instituições de I&D. O futuro Engenheiro Biotecnológico deve ser capaz de:
- Analisar e descrever fenómenos/processos, de base química e biotecnológica, em múltiplas escalas;
- Resolver problemas, de uma forma independente, mesmo que se tratem de situações novas;
- Projetar, simular, implementar, controlar e/ou otimizar bioprocessos;
- Aplicar os princípios da biotecnologia na produção de bio-produtos, usando matérias-primas obtidas de fontes renováveis e
processos mais verdes, seguros e sustentáveis.

Condições de Acesso e Ingresso

Podem candidatar-se ao Mestrado em Engenharia Biotecnológica:
a) Titulares do grau de licenciado ou equivalente legal em Engenharias: Biotecnológica, Biológica, Química ou Bioquímica; ou em
Bioengenharia, Biotecnologia, Bioquímica, Ciências Biológicas, Química Industrial, Tecnologia Química, com cursos organizados de
acordo com os princípios do Processo de Bolonha;
b) Titulares de um grau académico superior estrangeiro - 1º ciclo de estudos organizado de acordo com os princípios do Processo
de Bolonha, nas áreas referidas na alínea a);
c) Titulares de um grau académico superior obtido no estrangeiro que seja reconhecido pelo CC/FCTUC como satisfazendo os
objetivos do grau de licenciado nas áreas anteriores;
d) Em casos devidamente justificados, os detentores de currículo académico, científico ou profissional relevante para a frequência
deste ciclo de estudos, e reconhecido como tal pelo CC/FCTUC, em função de critérios aprovados por este órgão.

A informação disponibilizada não dispensa a consulta do Aviso de Abertura disponível nesta página.

Saídas Profissionais

Um Mestre em Engenharia Biotecnológica formado na Universidade de Coimbra possui uma formação consolidada, multidisciplinar, atual e focada na inovação, sustentabilidade e criatividade perante novos desafios, muito focada na transição para a Bioeconomia, e que lhe permite um desempenho e excelência em áreas de atuação que envolvem o projeto, desenvolvimento e operação de bioprocessos industriais, o desenvolvimento de novos bioprodutos (p. ex. biomoléculas, biocombustíveis e produtos químicos bio-baseados, biossolventes, biocatalisadores, biofármacos, biomateriais, biossensores, dispositivos médicos), soluções de base biotecnológica/bioquímica para diversas aplicações, investigação científica e desenvolvimento, liderança, consultoria, chefia e gestão, gestão ambiental e controlo de qualidade, comercialização e marketing, e ainda todo um novo leque de solicitações em áreas de ponta da biotecnologia industrial, incluindo, bioinformática, bioenergia, bioprocessos sustentáveis, tecnologias limpas e circulares, biomateriais avançados, e engenharia e ciência de dados. Segue-se um resumo dos setores mais importantes de empregabilidade para o Engenheiro Biotecnológico formado na Universidade de Coimbra:
- Biotecnologia Industrial: p. ex.: Biorrefinaria Verde e Azul para produção de compostos químicos/produtos bio-baseados e de combustíveis/energia, utilizando biocatalisadores (enzimas) e processos biotecnológicos (microrganismos ou células vegetais/animais); utilização de processos biotecnológicos na produção de celulose e papel, biopolímeros, bioplásticos, têxtil;
- Biotecnologia Farmacêutica e Cosmética: produção de biofármacos (p.ex. proteínas, vacinas, anticorpos), biossensores e outros produtos de interesse farmacêutico e/ou cosmetocêutico (p. ex. pigmentos naturais, hidrogéis naturais)

- Biotecnologia Alimentar, Nutracêutica e Agro-Alimentar: p. ex. novas fontes de proteínas e de outros ingredientes alimentares, novos alimentos e bebidas, formulações funcionais, biopesticidas e biofertilizantes;
- Biotecnologia Ambiental: p. ex. tratamento bio(tecno)lógico de efluentes domésticos/industriais, biorremediação de solos, valorização bio(tecno)lógica sustentável de resíduos;
- Criação de Empresas (start-ups e spin-offs) de Biotecnologia;
- Gestão de organizações e processos e implementação de sistemas qualidade em indústrias biotecnológicas;
- Setor público: administração central e regional;
- Inovação, investigação e desenvolvimento;

Regime de Estudo

Frequência a tempo integral ou tempo parcial, regime presencial em horário diurno

Língua(s) de Aprendizagem / Avaliação

Português e Inglês

Regras de Avaliação

A avaliação é uma atividade pedagógica indissociável do ensino, destinada a apurar as competências e os conhecimentos adquiridos pelos estudantes, a sua pro-atividade e espírito crítico e de síntese, a capacidade de enunciar e de resolver problemas, bem como o seu domínio da comunicação escrita e oral. São admitidos a provas de avaliação, os estudantes inscritos nas respetivas unidades curriculares no ano letivo a que as provas dizem respeito e, simultaneamente, inscritos nessas provas, quando tal inscrição for necessária, de acordo com os regulamentos da Universidade de Coimbra. Entendem-se por elementos de avaliação os seguintes exemplos: exame escrito ou oral, frequências, resolução de problemas, trabalhos práticos (laboratoriais ou computacionais) ou escritos, bem como projetos, individuais ou em grupo, que poderão ter de ser defendidos oralmente. A avaliação de cada unidade curricular pode incluir um ou mais dos elementos de avaliação indicados, tendo os estudantes que ter conhecimento da ponderação de cada componente na avaliação final, nos termos dos regulamentos da Universidade de Coimbra. A classificação de cada estudante, para cada unidade curricular, traduz-se num valor inteiro compreendido entre 0 e 20 valores e consideram-se aprovados os estudantes que obtiverem a classificação final mínima de 10 valores. A aprovação na unidade curricular de Dissertação em Engenharia Biotecnológica inclui uma prova de defesa pública do trabalho desenvolvido perante um júri constituído por especialistas no domínio em que este se insere, de acordo com o Regulamento Académico da Universidade de Coimbra (RAUC).

Objetivos da Aprendizagem e Competências a Desenvolver

Competência multidisciplinar para desempenho da profissão em múltiplas vertentes da Biotecnologia Industrial, incluindo: produção
industrial de bioprodutos; concepção, implementação, análise e controlo de bioprocessos/bioprodutos; substituição e adaptação dos
processos químicos tradicionais em processos biotecnológicos eficientes, sustentáveis e amigos do ambiente;
desenvolvimento/coordenação de projetos I&D;
Competências específicas: aplicar conhecimentos avançados de biotecnologia molecular, eng. química e bioquímica,biocatálise, biorreatores, processos de separação e purificação de bioprodutos, bioinformática, qualidade e regulação, projeto de bioprocessos, complementados com sustentabilidade, bioeconomia circular, biossegurança e bioética;
Competências genéricas: análise crítica, síntese, inovação, criatividade, pro-atividade, trabalho em equipa, liderança, comunicação,
autonomia, adaptação a novas situações, empreendedorismo, e valores de honestidade, ética e deontologia.

Reconhecimento da Aprendizagem Prévia

O reconhecimento da aprendizagem prévia é efetuado de acordo com o Regulamento Académico da Universidade de Coimbra, RAUC, Regulamento n.º 805-A/2020, DR, 2ª série, de 24 de setembro (http://www.uc.pt/academicos/regulamentos/regulamentos), nos termos fixados no Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de março, na sua redação atual

Enquadramento Legal da Qualificação

DL 74/2006, de 24 de março na sua redação em vigor

Requisitos para Obtenção da Qualificação

Para obter o grau de Mestre em Engenharia Biotecnológica, o estudante tem de perfazer um total de 120 ECTS, tendo de obter aprovação em todas as unidades curriculares obrigatórias do ciclo de estudos e de 24 ECTS de unidades curriculares optativas (com um perfil de especialização que pode ser ajustado de acordo com a escolha – Opção 1, 2, 3 e 4 com 6 ECTS cada), e de realizar com sucesso a defesa pública de uma Dissertação de Mestrado, que equivale a 30 ECTS, desenvolvida em ambiente industrial (preferencialmente), académico ou em regime de mobilidade.

Acesso a um Nível de Estudos Superior

Os titulares do grau de Mestrado em Engenharia Biotecnológica poderão aceder a formação de nível superior, nomeadamente a estudos de terceiro ciclo na mesma área ou em áreas afins conducentes ao grau de Doutor

Plano de Estudos

Percursos
Mestrado em Engenharia Biotecnológica - Especialização em Bioprocessos e Biorrefinarias
Mestrado em Engenharia Biotecnológica - Especialização em Biotecnologia e Biomateriais

Ano lectivo
2024-2025

Tipo de Curso
2º Ciclo - Mestrado de Especialização Avançada

Código DGES: M095

Qualificação Atribuída: Mestre

Duração: 4 Semestre(s)

Créditos ECTS: 120.0

Categoria: Mestrado de Especialização Avançada


Candidaturas

Avisos de Abertura


Acreditações

Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior
2023-07-31 a 2029-07-30
Direcção Geral de Ensino Superior

Nº Registo: R/A-Cr 147/2023

2023-11-06

Documentos

17_2022_Guião de acreditação prévia de novo ciclo de estudos

25_2022_Relatório final Comissão de Avaliação Externa

27_2022_Decisão do Conselho de Administração