Mestrado em Antropologia Forense

Objetivos do Curso

O Mestrado em Antropologia Forense tem como objetivo oferecer uma formação especializada, inter e multidisciplinar, a um nível avançado em diferentes áreas da Antropologia Forense, nomeadamente: Osteologia Humana, Tafonomia Forense, estimativa dos parâmetros do Perfil Biológico, processo de Identificação, análise dentária, análise de traumatismos, Antropologia de Campo, e a sua interação com outras disciplinas forenses e a Investigação Criminal. Pretende-se estimular a apreciação crítica da literatura científica de modo a desenvolver a confiança necessária para trabalho autónoma, dentro e fora da ciência. Pretende-se que o discente adquira uma série de competências que o ajude na carreira futura.
Pretende-se que os estudantes adquiram:
1. Competências instrumentais, e.g., competências em: análise e síntese; organização e planificação; comunicação oral e escrita; utilização de ferramentas informáticas no âmbito do estudo; gestão da informação, capacidade de decisão e ainda resolução de problemas.
2. Competências pessoais e interpessoais, e.g., competências em: trabalho de grupo e em equipas interdisciplinares; trabalho num contexto internacional; raciocínio crítico e entendimento da linguagem de especialistas.
3. Competências sistémicas, e.g., competências em: aprendizagem autónoma; investigação; adaptabilidade a novas situações; aplicação prática dos conhecimentos teóricos; planeamento e gestão; autocrítica e auto-avaliação. Pretende-se ainda estimular a criatividade, liderança, espírito de iniciativa e empreendedorismo, preocupação com o rigor e a qualidade.
A operacionalização dos objetivos gerais deste Mestrado será concretizada em cada unidade curricular de forma específica, através da realização de diferentes tarefas (de natureza prática e/ou teórica) no respetivo âmbito. A forma e qualidade com que os estudantes realizam as diferentes tarefas traduzem o seu grau de cumprimento e são sujeitas a avaliação.

Condições de Acesso e Ingresso

1. Podem candidatar-se ao acesso ao ciclo de estudos conducente ao grau de mestre em Mestrado em Antropologia Forense:
a) Titulares do grau de licenciado ou equivalente legal em: Antropologia, Biologia, Bioquímica, Medicina, Medicina Dentária, outras Ciências Biológicas e Ciências Sociais e Humanas;
b) b) Titulares de um grau académico superior estrangeiro, nas áreas referidas na alínea a), conferido na sequência de um 1º ciclo de estudos organizado de acordo com os princípios do Processo de Bolonha por um Estado aderente a este Processo;
c) Titulares de um grau académico superior obtido no estrangeiro que seja reconhecido como satisfazendo os objectivos do grau de licenciado numa das áreas referidas nas alíneas anteriores pelo Conselho Científico da FCTUC;
d) Em casos devidamente justificados, os detentores de um currículo científico e profissional relevante para a frequência deste ciclo de estudos e que, como tal, que seja reconhecido pelo Conselho Científico da FCTUC.

2 - O reconhecimento a que se referem as alíneas b) a d) do n.º 1 tem como efeito apenas o acesso ao ciclo de estudos conducente ao grau de mestre e não confere ao seu titular a equivalência ao grau de licenciado ou o reconhecimento desse grau.

A informação disponibilizada não dispensa a consulta do Aviso de Abertura disponível nesta página.

Saídas Profissionais

Técnicos de Antropologia Forense; Peritos; integração em equipas internacionais de desastres em massa e crimes contra a humanidade; ensino; consultadoria; escavação de restos humanos.

Regime de Estudo

Diurno/ Regime de tempo integral / Presencial

Língua(s) de Aprendizagem / Avaliação

Português e/ou inglês

Regras de Avaliação

Sendo a avaliação uma atividade pedagógica indissociável do ensino, destina-se a apurar as competências e os conhecimentos adquiridos pelos estudantes, o seu espírito crítico, a capacidade de enunciar e de resolver problemas, bem como o seu domínio da exposição escrita e oral. São admitidos a provas de avaliação os estudantes inscritos nas respetivas unidades curriculares no ano letivo a que as provas dizem respeito e, simultaneamente, inscritos nessas provas, quando tal inscrição for necessária, nos termos do n.º 8 do artigo 11º do Regulamento Pedagógico da Universidade de Coimbra. Entendem-se por elementos de avaliação os seguintes exemplos: exame escrito ou oral, testes, trabalhos escritos ou práticos, bem como projetos, individuais ou em grupo, que poderão ter de ser defendidos oralmente e a participação nas aulas. A avaliação de cada unidade curricular pode incluir um ou mais dos elementos de avaliação indicados anteriormente. A classificação de cada estudante, para cada unidade curricular, traduz-se num valor inteiro compreendido entre 0 e 20 valores e consideram-se aprovados os estudantes que obtiverem a classificação final mínima de 10 valores. Sempre que a avaliação de uma unidade curricular compreenda mais do que um elemento de avaliação, a nota final é calculada a partir das classificações obtidas em cada elemento de avaliação, através de uma fórmula tornada pública nos termos do nº 3 do artigo 16º e nº 2 do artigo 7º do RPUC.

Objetivos da Aprendizagem e Competências a Desenvolver

Este curso tem como objetivo oferecer formação avançada em problemáticas ligadas à Antropologia Forense, destacando-se, neste contexto: i) Compreender a importância do conhecimento da história da disciplina e suas atribuições; ii) conseguir resolver um caso de rotina de Antropologia forense; iii) conhecer e identificar os ossos do esqueleto humano; iv) conseguir proceder a uma identificação com base em restos humanos; v) ser capaz de fazer uma avaliação da causa e da circunstância da morte; vi) ser capaz de participar na escavação e exumação de restos humanos e estimar o tempo decorrido desde a morte; vii) entender o enquadramento da Antropologia dentro das ciências forenses viii) discutir artigos científicos ix) saber comunicar, por escrito e oralmente, avanços recentes da disciplina; X) formular hipóteses científicas e testá-las.

Coordenador(es) do Curso

Maria Teresa dos Santos Ferreira
mtsferreira@yahoo.com

Reconhecimento da Aprendizagem Prévia

O reconhecimento da aprendizagem prévia será aferido nos termos do disposto no Regulamento nº 191/2014, Regulamento de Creditação de Formação Anterior e de Experiência Profissional da Universidade de Coimbra, publicado no Diário da República, 2ª série, nº 93 de 15/07/2014.

Enquadramento Legal da Qualificação

A qualificação enquadra-se nas normas previstas no Decreto Lei nº 74/2006, de 24 de Março, na sua atual redação, e Portaria nº 782/2009, de 23 de Julho.

Requisitos para Obtenção da Qualificação

Os estudantes têm de completar, no total, 120 ECTS, correspondendo o 1º ano (2 semestres) a 60 ECTS com várias unidades curriculares, de acordo com o plano de estudos. No 2º ano, os estudantes têm também de completar 60 ECTS, 3 dos quais na unidade curricular de “Projeto de Investigação” (1º semestre) e 57 ECTS na unidade curricular de “Dissertação” (anual), a qual deve ser defendida, em provas públicas, perante um júri constituído para o efeito.

Acesso a um Nível de Estudos Superior

Acesso ao 3º ciclo de estudos.

Plano de Estudos

Antropologia Forense

Ano lectivo
2019-2020

Tipo de Curso
2º Ciclo - Mestrado de Especialização Avançada

Código DGES: MA13

Qualificação Atribuída: Mestre

Duração: 2 Ano(s)

Créditos ECTS: 120.0

Categoria: Mestrado de Especialização Avançada


Candidaturas

Avisos de Abertura


Calendário

1º Semestre
Data de início: 16-09-2019
Data de fim: 21-12-2019
2º Semestre
Data de início: 10-02-2020
Data de fim: 30-05-2020

Acreditações

Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior
2018-05-14 a 2024-05-13
Direcção Geral de Ensino Superior
2018-06-07