Mestrado em Astrofísica e Instrumentação para o Espaço

Objetivos do Curso

A Astrofísica de precisão baseia-se em sofisticada instrumentação colocada em quer em Terra e quer em órbita, na capacidade de manipulação de grandes quantidades de dados de observação e na simulação e modelação computacional em larga escala. É uma área fortemente interdisciplinar em grande crescimento, para o qual concorrem equipas da mais diversa proveniência, envolvendo astronómos, físicos, engenheiros, matemáticos mas também químicos e geólogos.

O Mestrado em Astrofísica e Instrumentação para o Espaço pretende formar profissionais capazes de integrar essas equipas, quer nas grandes organizações internacionais (ESA, EUSO, etc...) quer nas empresas tecnológicas com contratos no domínio espacial.

A estrutura muito versátil do Mestrado, permite ao estudante escolher as unidades curriculares que mais se ajustem ao seu perfil e que melhor complementem a sua formação anterior, face às áreas de oportunidade que mais lhe interessem. Assim, pode centrar-se mais na Astrofísica e na Cosmologia Teórica, ou na Modelação Computacional e na Análise de dados, ou ser mais voltado para a Instrumentação e a Engenharia de Navegação.

O Mestrado reflecte a excelência da actividade científica e técnica dos Departamentos de Física e de Matemática da FCTUC nos domínios da instrumentação e aquisição de dados, da astronomia observacional e geodesia, e da computação, simulação e análise de dados. A formação é sólida e multidisciplinar, característica apreciada por empregadores em busca de indivíduos versáteis, familiarizados com instrumentação variada e com bons conhecimentos de computação e informática.

Condições de Acesso e Ingresso

Licenciatura em Física, Eng. Física, Matemática, Engenharia Geográfica e áreas afins

A informação disponibilizada não dispensa a consulta do Aviso de Abertura disponível nesta página.

Saídas Profissionais

Actividades de investigação em laboratórios e instituições de investigação e desenvolvimento, nomeadamente as que integram equipas nas grandes organizações internacionais (ESA, EUSO, CERN, etc...);

actividades de projecto e desenvolvimento em empresas tecnológicas especializadas que operem no domínio espacial;

actividades nos sectores com forte pendor tecnológico e computacional, nomeadamente nos serviços e em nichos de tecnologia especializada;

actividades de educação e divulgação e difusão da cultura científica em instituições de ensino e em museus de ciência e afins.

Regime de Estudo

O Curso é ministrado em horário diurno.

Língua(s) de Aprendizagem / Avaliação

Português

Regras de Avaliação

Sendo a avaliação uma atividade pedagógica indissociável do ensino, destina-se a apurar as competências e os conhecimentos adquiridos pelos estudantes, o seu espírito crítico, a capacidade de enunciar e de resolver problemas, bem como o seu domínio da exposição escrita e oral. São admitidos a provas de avaliação os estudantes inscritos nas respetivas unidades curriculares no ano letivo a que as provas dizem respeito e, simultaneamente, inscritos nessas provas, quando tal inscrição for necessária, nos termos do nº 6 do artigo 4º do Regulamento Pedagógico da Universidade de Coimbra. Entendem-se por elementos de avaliação os seguintes exemplos: Exame escrito ou oral, testes, trabalhos escritos ou práticos, bem como projetos, individuais ou em grupo, que poderão ter de ser defendidos oralmente e a participação nas aulas. A avaliação de cada unidade curricular pode incluir um ou mais dos elementos de avaliação indicados anteriormente. A classificação de cada estudante, para cada unidade curricular, traduz-se num valor inteiro compreendido entre 0 e 20 valores e consideram-se aprovados os estudantes que obtiverem a classificação final mínima de 10 valores. Sempre que a avaliação de uma unidade curricular compreenda mais do que um elemento de avaliação, a nota final é calculada a partir das classificações obtidas em cada elemento de avaliação, através de uma fórmula tornada pública na ficha de unidade curricular, nos termos do nº 2 do artigo 7.º do RPUC.

Coordenador(es) do Curso

José Lopes Pinto da Cunha
jpinto@fis.uc.pt

Reconhecimento da Aprendizagem Prévia

O reconhecimento dos conhecimentos prévios ao curso expressa-se no próprio reconhecimento da licenciatura que é exigida. Podem também ser reconhecidos para efeitos de creditação trabalhos/projectos apresentados em complemento ao diploma de licenciatura.

Enquadramento Legal da Qualificação

Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de Março, alterado e republicado pelo DL n.º 107/2008, de 25 de Junho; Portaria n.º 782/2009, de 23 de Julho. O plano de estudos enquadra-se no Despacho nº 20133/2009, actualizado pelo Despacho nº 2653/2011.

Requisitos para Obtenção da Qualificação

A conclusão do curso obtém-se com um número mínimo de 120 ECTS.

Acesso a um Nível de Estudos Superior

Doutoramento

Plano de Estudos

Mestrado em Astrofísica e Instrumentação para o Espaço

Ano lectivo
2013-2014

Tipo de Curso
2º Ciclo - Mestrado de Especialização Avançada

Código DGES: M154

Qualificação Atribuída: Mestre

Duração: 4 Semestre(s)

Créditos ECTS: 120.0

Categoria: Mestrado de Especialização Avançada


Candidaturas

Avisos de Abertura


Calendário

1º Semestre
Data de início: 16-09-2013
Data de início (primeiro ano): 16-09-2013
Data de fim: 21-12-2013
2º Semestre
Data de início: 10-02-2014
Data de fim: 31-05-2014

Acreditações

Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior
2016-10-06 a 2022-10-05
Direcção Geral de Ensino Superior
2011-03-18