Organização da Informação: Controlo de Autoridades

Ano
0
Ano lectivo
2018-2019
Código
01013694
Área Científica
Área Científica do Menor
Língua de Ensino
Português
Modo de Ensino
Presencial
Duração
Semestral
Créditos ECTS
6.0
Tipo
Opcional
Nível
1º Ciclo - Licenciatura

Conhecimentos de Base Recomendados

NA

Métodos de Ensino

No desenvolvimento desta unidade curricular serão utilizados os seguintes métodos de ensino:

a) aulas expositivas com recurso a esquemas no quadro;

c) seminários de apresentação e discussão de trabalhos individuais e/ou de grupos;

d) visitas de estudo.

Resultados de Aprendizagem

No final desta unidade curricular os/as alunos/as deverão ser capazes de:

a) reconhecer as funções, os objetivos, o processo e os produtos envolvidos no controlo de autoridade;

b) reconhecer a importância do controlo de autoridade na eficácia da recuperação da informação;

c) reconhecer e aplicar os princípios e as normas nacionais e internacionais utilizadas no estabelecimento dos pontos de acesso a um catálogo;

d) avaliar a coerência e a consistência de um catálogo no que respeita ao controlo de autoridade;

e) perspetivar o presente e o futuro do controlo de autoridade.

Estágio(s)

Não

Programa

1. O controlo de autoridade e o estabelecimento dos pontos de acesso a um catálogo

1.1. Funções, objetivos e políticas

1.2. Processo e produtos

1.3. Normas nacionais e internacionais: âmbito, estrutura e aplicação

1.4. O controlo de autoridade no contexto manual e no contexto automatizado

 

2. O processo de controlo de autoridade

2.1. Princípios gerais e aplicação

2.2. Determinação dos pontos de acesso

2.3. Forma de apresentação dos pontos de acesso

2.4. A validação e o controlo da qualidade

 

3. O controlo de autoridade: entre o presente e o futuro

3.1. Os dados vinculados e as ferramentas de descobrimento: impactos no controlo de autoridade

3.2. As FRAD e as RDA: impactos no controlo de autoridade.

Docente(s) responsável(eis)

Maria da Graça Melo Simões

Métodos de Avaliação

Avaliação
Relatório de seminário ou visita de estudo: 10.0%
Participação nas aulas: 10.0%
Trabalho laboratorial ou de campo: 10.0%
Resolução de problemas: 20.0%
Mini Testes: 50.0%

Bibliografia

Anglo-American cataloguing rules. (2003). Chicago: American Library Association; Ottawa: Canadian Library Association; London: Chartered Institute of Library and Information Professionals.

Frías de Montoya, J. A. (2001). El control de autoridades y el acceso a la información. In Catalogación de documentos: teoría y práctica (419-468). Madrid: Editorial Síntesis.

IFLA. Working Group on functional requirements and numbering of authority records (2011). Requisitos funcionais para dados de autoridade: um modelo conceptual. Lisboa: BNP.

Regras Portuguesas de Catalogação. (2000). Lisboa: BN.

Rodríguez-Bravo, B.; Travieso-Rodríguez, C.; Simões, M. da G.; Freitas, M. C. V. de (2014). Evaluating discovery tools in Portuguese and Spanish academic libraries. In International ISKO Conference, Cracóvia, 2, 2014 – Knowledge organization in the 21st century: Between historical patterns and future prospects (516-523). Würzburg: Ergon Verlag.