História do Teatro e do Espetáculo II

Ano
0
Ano lectivo
2018-2019
Código
01012781
Área Científica
Área Científica do Menor
Língua de Ensino
Português
Modo de Ensino
Presencial
Duração
Semestral
Créditos ECTS
6.0
Tipo
Opcional
Nível
1º Ciclo - Licenciatura

Conhecimentos de Base Recomendados

NA

Métodos de Ensino

O método de ensino aprendizagem nesta disciplina prevê uma articulação entre uma componente teórica leccionada em aulas expositivas, e uma componente aplicada, essencialmente constituída pelo visionamento de espectáculos em suporte audiovisual (VHS e DVD), bem como a assistência a espectáculos de teatro ou de outras artes performativas. Os espectáculos analisados servirão de suporte à produção escrita de textos de críticos, destinados a capacitar o aluno para uma leitura pessoal, estruturada e organizada dos materiais apresentados.

Resultados de Aprendizagem

Estudar-se-ão autores, encenadores, num diálogo entre a prática e a teoria, que marcaram as formas teatrais que deram origem às diversas escolas de encenação que mapeiam o nosso teatro contemporâneo. Pressupõe-se o visionamento e/ou a ida a espectáculos de teatro, dança e performances, o visionamento de vários registos fílmicos de espectáculos para o acompanhamento de uma leitura teórica, a leitura regular de ensaios e a produção escrita de um ensaio crítico, como forma de exercer o pensamento. Propõe-se ainda ao aluno a realização de uma frequência para avaliar a assimilação e articulação dos conteúdos leccionados em História do Teatro e do Espectáculo II.

Estágio(s)

Não

Programa

1) O Drama Burguês

A proposta de Denis Diderot para uma alternativa ao teatro clássico francês;

 

2) O Realismo e o Naturalismo: “A Crise do Drama” de Peter Szondi

André Antoine, August Strindberg, Anton Tchekhov, Henrik Ibsen;

 

3) A proposta cénica de Richard Wagner – Gesamtkunstwerk – (Obra de Arte Total) e a experiência cénica de Bayreuth.

A alternativa ao real(ismo) e a procura da criação de um espaço onírico, em diálogo com Maurice Maeterlinck;

 

4) O modernismo no teatro: Piscator, Meyerhold e Bertolt Brecht.

As experiências modernistas do início do século XX e a sedimentação dos conceitos do “teatro épico” operada e aprofundada por Brecht;

 

5) O teatro politico e épico de Brecht e a proposta dramática de Samuel Beckett e Roger Blin;

 

6) O teatro dramático e pós-dramático – as formas múltiplas do teatro contemporâneo.

Leituras sobre o teatro contemporâneo pelos prismas de Erika Fichter-Lichte e Hans Thies-Lehmann.

Docente(s) responsável(eis)

Carlos Manuel de Matos Moura da Costa

Métodos de Avaliação

Avaliação
Trabalho de investigação: 50.0%
Frequência: 50.0%

Bibliografia

DIDEROT, D. (1986) - Discurso sobre a poesia dramática. São Paulo: Brasileirense, col. Elogio da Filosofia

FICHTER-LICHTE, E. (2008) -  The Transformative Power of Performance. Londres: Routledge

LEHMANN, Hans-Thies (2002) - Le Théâtre postdramatique. Paris: L’Arche

MENDES RIBEIRO, J. (1998) - A Reforma do Espaço Cénico no Século XX, in “Fragmentos de uma Prática de Dramaturgia do Espaço”. Provas de Aptidão Pedagógica e Capacidade Científica, Departamento de Arquitectura da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra.

SZONDI, P. (2011) - A Teoria do Drama Moderno [1880-1950]. São Paulo: Cosac & Naify, 2ªedição

VASQUES, E (2007) - Piscator e o conceito de teatro épico. Lisboa: Biblioteca Escola Superior de Teatro e Cinema.

________, — (2003) - O Que É o Teatro?. Lisboa: Quimera