Arqueologia de Campo

Ano
0
Ano lectivo
2018-2019
Código
01011044
Área Científica
Área Científica do Menor
Língua de Ensino
Português
Modo de Ensino
Presencial
Duração
Semestral
Créditos ECTS
6.0
Tipo
Opcional
Nível
1º Ciclo - Licenciatura

Conhecimentos de Base Recomendados

NA

Métodos de Ensino

As aulas são presenciais com suporte digital. Uso extensivo de imagens ilustrando as várias componentes dos conteúdos da unidade curricular. Análise e comentário de textos e imagens, tendo particular atenção aos diferentes tipos de sítios arqueológicos, às várias metodologias empregues no trabalho de prospeção e escavação e às diferentes técnicas utilizadas. Uma saída de campo onde os alunos tomarão contacto com algumas das técnicas principais do trabalho de campo; a topografia, a cartografia e o desenho arqueológico. Esta saída de campo é feita já no 2º semestre.

Resultados de Aprendizagem

Reconhecer a Arqueologia de Campo como domínio científico e essencial para o exercício da prática de campo; reconhecer a Arqueologia de Campo como um estudo das técnicas e metodologias utilizadas pelos arqueólogos em prospeção e escavação arqueológica; conhecer as mais recentes e actualizadas tendências da produção científica nos planos da análise e da síntese da historiografia da Arqueologia de Campo; ser capaz de expor os conhecimentos adquiridos de forma problematizante, fazendo uso de vocabulário específico e integrando-os no universo conceptual próprio da disciplina; possuir conhecimentos e competências que possibilitem o aprofundamento do estudo e da experiência em campo, quer do ponto de vista científico, quer de divulgação, quer ainda de conservação e proteção do património arqueológico.

Estágio(s)

Não

Programa

I. Antes do campo

1. Preparação do trabalho, as instituições tutelares, a legislação e as práticas administrativas.


II. O trabalho de campo

2. A prospeção: sítios e/ou paisagens.

2.1. Recolha prévia e planeamento: as diversas prospeções.

2.2. Metodologias de prospeção: estratégias e processos de registo de recolha de dados.

2.3. O tratamento da informação: os processos de formação e transformação dos sítios arqueológicos; a interpretação dos dados.

2.4. A cartografia: mapas e Sistemas de Informação Geográfica (SIG).


III. A escavação

3.1. O desenvolvimento de técnicas de escavação: do conceito de estratificação de Pitt-Rivers à escavação em área.

3.2. O registo estratigráfico: a sua individualização, descrição, interpretação e relacionação.

3.3. O registo gráfico e fotográfico.

3.4. Os materiais e os seus contextos.

3.5. Concluindo: o espólio arqueológico como um todo.


IV. O pós-campo

4. Dar sentido ao Passado.

4.1. Os diversos processos interpretativos. A Arqueologia Pública.

Docente(s) responsável(eis)

Ricardo Jorge Costeira da Silva

Métodos de Avaliação

Avaliação continua
Trabalho laboratorial ou de campo: 20.0%
Trabalho de síntese: 20.0%
Frequência: 60.0%

Bibliografia

BINTLIFF, John (2006), A Companion to Archaeology, United Kingdon, Blackwell Publishing.

BARKER, Philip (1989), Techniques of Archaeological Excavation, London, B.T. Batsford Lda.

GAMBLE, Clive (2006), Archaeology: The Basics, London and New York, Routledge.

GREENE, Kevin e MOORE, Tom (2002), Archaeology: An Introduction, London and New York, Routledge.

HARRIS, Edward (1991), Principios de Estratigrafia Arqueológica, Barcelona, Critica.

RENFREW, Colin e BAHN, Paul (2004), Archaeology: Theories, Methods and Practice, London, Thames and Hudson.

RENFREW, Colin e BAHN, Paul (2005), Archaeology: The Key Concepts, London and New York, Routledge.

ROSKAMS, Steve (2001), Excavation, Cambridge, Cambridge University Press.

SANJUÁN, Leonardo García (2005), Introducción al Reconocimiento y Análisis Arqueológico del Territorio, Barcelona, Ariel Prehistoria.