Arqueologia Proto-histórica Peninsular

Ano
0
Ano lectivo
2018-2019
Código
01011033
Área Científica
Área Científica do Menor
Língua de Ensino
Português
Modo de Ensino
Presencial
Duração
Semestral
Créditos ECTS
6.0
Tipo
Opcional
Nível
1º Ciclo - Licenciatura

Conhecimentos de Base Recomendados

NA

Métodos de Ensino

Conjuga-se a exposição de conteúdos com carácter teórico-prático, recorrendo à apresentação de imagens, com o debate nas aulas em função de textos e pesquisas efectuadas pelos alunos. Sempre que possível, será valorizada a avaliação contínua e de interactividade com os estudantes através de mini testes, intervenções nas aulas e apresentação de trabalhos. Não o sendo, terá de se optar pela exposição de conteúdos em aulas avaliados em exame.

Resultados de Aprendizagem

Nesta disciplina apresenta-se uma visão geral sobre as dinâmicas e os processos culturais das comunidades peninsulares entre os finais do II e os finais do I milénio a. C., quer ao nível da sua organização e funcionamento, quer em termos das suas expressões construtivas, espaciais, artefactuais, artísticas, rituais e simbólicas. Serão analisadas as suas transformações a nível endógeno e as resultantes dos seus contactos e interacção com o mundo mediterrâneo, atlântico e continental. A disciplina tem como objectivo geral fornecer aos alunos uma visão ampla das comunidades proto-históricas peninsulares, no que respeita a forma como se estruturavam, evoluíram, se transformaram e se distinguiram culturalmente.

Estágio(s)

Não

Programa

1. A construção da arqueologia proto-histórica peninsular

1.1. Conceitos, cronologias e periodizações

1.2. A Península Ibérica e o Atlântico

1.3. A Península Ibérica e o Mediterrâneo

2. As comunidades do Bronze Final peninsular

2.1. Tempos de resistência, de mudança e de contactos

2.2. A fachada atlântica ocidental

2.3. A Meseta e Cogotas I

2.4. O Nordeste e os Campos de Urnas

3. A configuração das "paisagens culturais" da Idade do Ferro

3.1. O milénio de todas as mudanças

3.2. Tartesso e a sua geografia cultural

3.3. A presença e influência fenícias

3.4. Dos Turdetanos aos Iberos

3.5. Vetões, Celtas e Celtiberos

3.6. O Noroeste e as sociedades castrejas

3.7. O mundo lusitano entre evidências, equívocos e nacionalismo.

Docente(s) responsável(eis)

Raquel Maria da Rosa Vilaça

Métodos de Avaliação

Avaliação continua
Trabalho de síntese: 30.0%
Outra: 30.0%
Mini Testes: 40.0%

Bibliografia

Alarcão, J. & Barroca, M. (coord. geral) (2012), Dicionário de Arqueologia Portuguesa, Figueirinhas, Porto.

AA.VV. (2013), Comunicações apresentadas ao Colóquio “Sistemas de povoamento do território português no decurso do Bronze Final”, Estudos Arqueológicos de Oeiras, vol. 20, pp. 155-354.

Campos, J. & Alvar, J. (eds.) (2013), Tarteso. El emporio del metal, ed. Almuzara.

González-Ruibal, A. (2006-2007), Galaicos. Poder y comunidad en el Noroeste de la Península Ibérica (1200 a.C.-50 d.C.), T. 1-2, Brigantium, 18-19, A Coruña.

Gracia Alonso, F. (coord.) (2008), De Iberia a Hispania, Madrid, Ariel Prehistoria.

Sánchez-Moreno, E., Domínguez Monedero, A., Gómez-Pantoja, J. (2013), Protohistoria y Antigüedad de la Península Ibérica. vol. I. Las fuentes y la Iberia colonial, Madrid, Sílex ediciones.

Vilaça, R. (2006), Proto-História Peninsular, Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra [livro com diversas pistas sobre conteúdos e bibliografia].