Modelos Sistemicos e Modelos Dinamicos

Ano
3
Ano lectivo
2019-2020
Código
01008896
Área Científica
Psicologia
Língua de Ensino
Português
Modo de Ensino
Presencial
Duração
Semestral
Créditos ECTS
6.0
Tipo
Obrigatória
Nível
1º Ciclo - Licenciatura

Conhecimentos de Base Recomendados

NA

Métodos de Ensino

Metodologias:

Ensino teórico/prático com recurso a metodologias expositivas, ativas (e.g., exercícios reflexivos, discussão de casos clínicos) e orientação tutorial. As metodologias ativas incluem o estudo de casos clínicos, de recensões e análises críticas de artigos científicos.

A avaliação é periódica e inclui duas provas do tipo A, com um peso ponderado de 50% cada. 

Resultados de Aprendizagem

Módulo I – Modelos sistémicos:

Adquirir os conhecimentos básicos do corpo teórico e epistemológico fundacional e estruturante do paradigma sistémico e perspectiva construtivista

Adquirir conhecimentos sobre os tipos e modalidades de intervenção numa perspectiva sistémica

Desenvolver as competências básicas para avaliar e intervir sistemicamente quer individualmente quer na família e contextos envolventes (e.g. escola, comunidade)

 

Módulo II - Modelos Dinâmicos:

Adquirir os conhecimentos teóricos fundamentais relativos aos principais modelos dinâmicos psicanalíticos, nomeadamente os modelos propostos por Freud, Klein, Winnicott e Bowlby considerando as suas diferenças conceptuais e implicações na compressão psicológica do ser Humano e no trabalho psicoterapêutico;

Desenvolver as competências básicas relativas ao trabalho clínico dinâmico tomando como referência a posição terapêutica e os aspetos relativos à interpretação, transferência/contratransferência, resistências e defesas.

Estágio(s)

Não

Programa

I Modelos sistémicos

1. “Ver diferente para pensar diferente” – Bases conceptuais do paradigma sistémico e do construtivismo

1.1. Teoria dos Sistemas, Cibernética e Pragmática da Comunicação Humana. Implicações para a intervenção

1.2. O ciclo evolutivo individual e familiar

1.3. Construtivismo e narrativa

1.4. A psicopatologia numa perspectiva sistémica

2. “Pensar diferente para escutar e intervir diferente” – bases da intervenção sistémica e familiar

2.1. Tipos, modalidades e contextos

2.2. Ferramentas sistémicas para avaliação e intervenção

 

II Modelos Dinâmicos

1. Introdução ao estudo da psicanálise e das psicoterapias dinâmicas

2. Psicopatologia dinâmica: angústia, conflito e sintoma; organização e estrutura; neurose e psicose

3. Introdução às psicoterapias dinâmicas: conceitos "técnicos" fundamentais

4. As diferentes técnicas psicoterapêuticas dinâmicas (psicanálise; psicoterapias dirigidas ao insight; psicoterapias de grupo, psicoterapias institucionais)

Docente(s) responsável(eis)

Luciana Maria Lopes Sotero

Métodos de Avaliação

Avaliação
Frequência: 100.0%

Bibliografia

Alain Vanier (1998/2010). Une introduction à la psychanalyse (2ª Ed.). Paris: Armand Coland.

Campos Pellanda, N.M. & Cabral Pellanda, L.E. (1996). Psicanálise Hoje: uma revolução do olhar. Petrópolis: Vozes

Mitchell, S.A.& Black, M.J. (1995). Freud and beyond: a history of modern psychoanalytic thought. NY: BasicBooks

Paixão, R. (2002). Manual de Psicopatologia Infantil e Juvenil. Vol. I, Coimbra: FPCE-UC

Relvas, A. P. (2000). Psicopatologia do desenvolvimento e contexto familiar. In I. Soares (coord.), Psicopatologia do desenvolvimento. Coimbra: Quarteto.

Relvas, A.P. (2006). O Ciclo vital da família. Perspectiva sistémica. Porto: Afrontamento(4ª ed).

Relvas, A. P. (2003). Por Detrás Do Espelho. Da teoria à terapia com a família. Coimbra: Quarteto.

Relvas,A.P.; Alarcão, M.; Pereira, M.G. (2013), Family and Systems Therapy and Training in Portugal, Contemporary Family Therapy. 35, 2, 296 – 307

Tridon, A. (2006). Psychoanalysis: Its History, Theory and Practice. London: Kessinger Pub.