Modernidade e Instituições Sociais

Ano
3
Ano lectivo
2019-2020
Código
01008624
Área Científica
Sociologia
Língua de Ensino
Português
Modo de Ensino
Presencial
Créditos ECTS
6.0
Tipo
Opcional
Nível
1º Ciclo - Licenciatura

Conhecimentos de Base Recomendados

Introdução à Sociologia e História do Mundo Contemporâneo

Métodos de Ensino

Esta unidade curricular pretende promover a participação ativa dos alunos nas sessões. A UC funciona em sessões regulares dirigidas pelo/a docente responsável. No início do semestre, os alunos devem escolher o regime de avaliação (mista ou regime geral). A avaliação mista combina o envolvimento dos estudantes nas aulas (intervenções), a realização de trabalhos e testes escritos com consulta e a realização de um exame final.

Resultados de Aprendizagem

Objetivos gerais A UC aborda a modernidade ocidental e as formas a ela associadas de relação social e de identidade/subjetividade, tecnologias de vigilância, disciplina e dominação.

Objetivos específicos Abordar os debates tradicional/moderno e individuo/sociedade e temas como  ordem, disciplina, ética, sujeito, identidade ou trabalho. Examinar a génese e funcionamento atual de instituições formais em Portugal: estado e sistema político, mercado, família e escola, destacando o seu papel na formação da cidadania moderna, a dinâmica das crises e as respostas institucionais a estas.

Competências genéricas Capacidade de análise crítica da modernidade ocidental e de confronto com outras modernidades.

Competências específicas Capacidade de análise do fenómeno da modernidade; capacidade de avaliação crítica acerca da modernidade ocidental; compreensão dos mecanismos de funcionamento de instituições formais da sociedade portuguesa; compreensão do debate sobre a pós-modernidade.

Estágio(s)

Não

Programa

PARTE I – Ascensão e crise da modernidade ocidental

1. O triunfo da Modernidade ocidental: “Luzes” e capitalismo: natureza, ética e sujeito; ciência, secularização: desencantamento do mundo; agentes da modernização e dominação social : a metrópole e o dinheiro.

2. A crise da modernidade ocidental: relações sociais e disciplinação da vida social – classes, identidades e tecnologias e agentes de controle; modernidade incompleta: direitos e cidadania moderna

3. As “outras modernidades”: pós-modernidade, modernidade/colonialidade e transmodernidade

PARTE II – A modernidade tardia em Portugal

4. O ser moderno em Portugal: o estado, a política, o mercado e o consumo; a família, a escola e a cidade.

5. A sociedade e as instituições em Portugal na era da crise

Docente(s) responsável(eis)

Sara Alexandre Domingues Araújo

Métodos de Avaliação

Avaliação Continua
Relatório/síntese de participação em conferência : 20.0%
Exame s/ consulta : 30.0%
Síntese de texto de leitura obrigatório 25% + Resposta a uma questão em teste de consulta 25%: 50.0%

Avaliação Final
Exame: 100.0%

Bibliografia

ANDERSON, P. The New Old World. London: Verso, 2011.

ARRIGHI, G. Adam Smith em Pequim: Origens e Fundamentos do Século XXI. São Paulo: Boitempo Editorial, 2008.

GIDDENS, A. As consequências da modernidade. Oeiras: Celta, 1992

LANDER, E. (org.), Eurocentrismo e Ciências Sociais. Buenos Aires: CLACSO, 2005

LATOUR, B. Jamais fomos modernos. S. Paulo: Editora 34, 2009

RABINOW, P. French Modern: Norms and Forms of the Social Environment. Cambridge, MA: MIT Press, 1989. 

SANTOS, B. S. Pela mão de Alice. Porto: Afrontamento, 1994

SANTOS, B:S: Portugal: Ensaio contra a Autoflagelação. Coimbra: Almedina, 2011

SIMMEL, G.A metrópole e a vida do espíritoIn: Fortuna, C. (org.),Cidade, cultura e globalização.Oeiras: Celta, 1997

TOURAINE, A.Crítica da modernidade. Lisboa: Piaget, 1994

WAGNER, P., Sociology of Modernity. London: Routledge, 1994