a carregar...

Mestrado em Economia

Faculdade de Economia

abrir site outros cursos
Ano lectivo

2017-2018

Código DGES

9280

Tipo de Curso

2º Ciclo - Mestrado de Continuidade

Qualificação Atribuída

Mestre

Duração

18 Mês(es)

Créditos ECTS

90.0

Categoria

Mestrado de Continuidade

Coordenador(es) do Curso

Adelino Manuel Guimarães Fortunato (adelino@fe.uc.pt)

Hélder Miguel Correia Virtuoso Sebastião (helderse@fe.uc.pt)

Marta Cristina Nunes Simões (mcsimoes@fe.uc.pt)

Coordenador(es) Departamental(ais) ECTS

Carmen Isabel de Oliveira Amado Mendes (carmen.mendes@fe.uc.pt)

Objetivos Gerais do Curso
Objectivos: O Mestrado em Economia visa uma formação científica e técnica aprofundada nos domínios básicos da teoria económica oferecendo, designadamente, especialização nas seguintes áreas: economia europeia, economia financeira, economia industrial, economia da governação e das instituições e economia do crescimento e das políticas estruturais. Procura-se ainda possibilitar um conhecimento mais avançado e aplicado de alguns aspectos da economia na sua componente macro e micro-económica.
Estrutura Curricular: O Mestrado tem a duração de 3 semestres para os alunos a tempo inteiro, incluindo a elaboração do trabalho de projecto/relatório de estágio. A parte lectiva do Mestrado é constituída por três unidades curriculares obrigatórias para qualquer das áreas de especialização (18 ECTS); duas unidades curriculares obrigatórias em cada área de especialização (12 ECTS); quatro unidades curriculares de opção (24 ECTS); e o Seminário de Investigação (4 ECTS).
Regime de Estudo
As sessões lectivas decorrem de Segunda a Sexta-feira durante o período da tarde.
Acesso a um Nível de Estudos Superior
Os mestres em Economia possuem competências acrescidas para se candidatarem a um programa de doutoramento.
Condições de Acesso e Ingresso

1. Podem candidatar-se ao acesso ao ciclo de estudos conducente ao grau de mestre:
a) Titulares do grau de licenciado, ou seu equivalente legal;
b) Titulares de um grau académico superior estrangeiro conferido na sequência de um 1º ciclo de estudos, organizado de acordo com os princípios do Processo de Bolonha por um Estado aderente a este Processo;
c) Titulares de grau académico superior estrangeiro que seja reconhecido como satisfazendo os objectivos do grau de licenciado pelo conselho científico responsável pelo ciclo de estudos de mestrado;
d) Em casos devidamente justificados, podem aceder ao ciclo de estudos de mestrado os candidatos que apresentem um currículo escolar científico e/ou profissional relevante para a frequência deste ciclo de estudos e que, como tal, seja reconhecido pelo conselho científico responsável pelo ciclo de estudos de mestrado.
2 - O reconhecimento a que se referem as alíneas b) a d) do n.º 1 tem como efeito apenas o acesso ao ciclo de estudos conducente ao grau de mestre e não confere ao seu titular a equivalência ao grau de licenciado ou o reconhecimento desse grau.

A informação disponibilizada não dispensa a consulta do Aviso de Abertura disponível nesta página.

Reconhecimento da Aprendizagem Prévia
Existe reconhecimento da formação obtida em instituições de ensino superior nacionais ou estrangeiras.
Enquadramento Legal da Qualificação
Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de Março, alterado pelo Decreto-Lei n.º 107/2008, de 25 de Junho, e pelo Decreto-Lei n.º 230/2009, de 14 de Setembro. O Despacho n.º 9957-C/2007 de 29 de Maio publica a estrutura curricular e o plano de estudos do curso.
Saídas Profissionais
Os/As mestres em Economia possuem habilitações aprofundadas para o exercício de funções em diversas áreas empresariais, tais como auditoria e consultoria, banca e seguros, estudos e planeamento, ensino e investigação, nomeadamente na administração pública central, regional e local, organismos públicos, empresas e associações, de natureza nacional ou internacional.
Regras de Avaliação e Classificação
Sendo a avaliação uma atividade pedagógica indissociável do ensino, destina-se a apurar as competências e os conhecimentos adquiridos pelos estudantes, o seu espírito crítico, a capacidade de enunciar e de resolver problemas, bem como o seu domínio da exposição escrita e oral. São admitidos a provas de avaliação os estudantes inscritos nas respetivas unidades curriculares no ano letivo a que as provas dizem respeito e, simultaneamente, inscritos nessas provas, quando tal inscrição for necessária, nos termos do nº 6 do artigo 4º do Regulamento Pedagógico da Universidade de Coimbra. Entendem-se por elementos de avaliação os seguintes exemplos: Exame escrito ou oral, testes, trabalhos escritos ou práticos, bem como projetos, individuais ou em grupo, que poderão ter de ser defendidos oralmente e a participação nas aulas. A avaliação de cada unidade curricular pode incluir um ou mais dos elementos de avaliação indicados anteriormente. A classificação de cada estudante, para cada unidade curricular, traduz-se num valor inteiro compreendido entre 0 e 20 valores e consideram-se aprovados os estudantes que obtiverem a classificação final mínima de 10 valores. Sempre que a avaliação de uma unidade curricular compreenda mais do que um elemento de avaliação, a nota final é calculada a partir das classificações obtidas em cada elemento de avaliação, através de uma fórmula tornada pública na ficha de unidade curricular, nos termos do nº 2 do artigo 7.º do RPUC.
Requisitos para Obtenção da Qualificação

O grau de mestre é obtido após conclusão com aproveitamento do conjunto das unidades curriculares do plano de estudos (58 ECTS) e a defesa com sucesso do trabalho de projecto ou do relatório de estágio (32 ECTS).

Plano de Estudos
Percursos
Avisos de Abertura
Calendário
1º Semestre
Data de início: 11-09-2017
Data de fim: 21-12-2017
2º Semestre
Data de início: 05-02-2018
Data de fim: 30-05-2018
Acreditações
- A3ES
Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior
Período(s)
  • 2015-03-23 a 2021-03-22
R/A-Ef 1610/2011 - DGES
Direcção Geral de Ensino Superior
Período(s)
  • 2011-03-18