a carregar...

Doutoramento em Estudos Feministas

Faculdade de Letras

abrir site outros cursos
Ano lectivo

2017-2018

Código DGES

5404

Tipo de Curso

3º Ciclo - Doutoramento

Qualificação Atribuída

Doutor

Duração

4 Ano(s)

Créditos ECTS

240.0

Propina Anual

1425.0 €

Coordenador(es) do Curso

Adriana Conceição Silva Pereira Bebiano Nascimento (adrianab@fl.uc.pt)

Objetivos Gerais do Curso
O curso tem por objetivo dar formação avançada na área científica de Estudos Feministas a estudantes de várias proveniências disciplinares;
preparar os estudantes para um mundo em que, apesar de todos os avanços conseguidos no âmbito da equidade sexual, a hierarquização sexual e a misoginia perduram e nem sempre são óbvias;
que os alunos ganhem consciência crítica da posição do sujeito no próprio processo de produção do conhecimento, bem como da política subjacente à institucionalização;
ganhem consciência dos discursos normativos que constroem, no passado e atualmente, imagens das mulheres que enquadravam o seu comportamento e definem os seus papéis;
fornecer dados empíricos e métodos para sua análise sobre a pluralidade de vivências de mulheres, desde as elites às massas anónimas e aos grupos marginalizados;
fornecer métodos e instrumentos conceptuais e operativos indispensáveis à investigação e produção académica nesta área de investigação ao nível de doutoramento.
Objetivos da Aprendizagem e Competências a Desenvolver
No fim do curso os estudantes devem ser capazes de:
uma análise crítica das representações mediáticas, literárias, historiográficas e outras;
situar cultural e historicamente discursos e práticas sociais sexualmente marcados;
compreender aspetos fundamentais envolvidos nas relações de género e na mudança social;
conhecer teorias da identidade e sua relação com conceitos como identidade sexual / género, raça, etnicidade, cultura, cidadania sexual e Direitos Humanos;
debater a relação dos feminismos com as identidades raciais e étnicas e o colonialismo e pós-colonialismo;
conhecer a evolução histórica das teorias e práticas feministas;
fazer investigação própria adequada ao método e objeto escolhidos;
apresentar, de forma oral e escrita, os resultados da sua investigação de forma clara e empírica e teoricamente escorada;
debater os resultados da sua investigação e reflexão em contexto académico e em diálogo com outros posicionamentos disciplinares e epistemológicos avançados.
Regime de Estudo
Presencial
Acesso a um Nível de Estudos Superior
Pós-doutoramento.
Condições de Acesso e Ingresso

1- Podem candidatar-se a este ciclo de estudos:
a) Titulares do grau de mestre, ou seu equivalente legal;
b) Titulares de grau de licenciado, detentores de um currículo escolar ou científico especialmente relevante que seja reconhecido como atestando capacidade para a realização deste ciclo de estudos pelo Conselho Científico da Faculdade de Letras;
c) Detentores de um currículo escolar, científico ou profissional que seja reconhecido como atestando capacidade para realização deste ciclo de estudos pelo Conselho Científico da Faculdade de Letras.
2- O reconhecimento referido nas alíneas b) e c) do número anterior apenas permite o acesso ao ciclo de estudos conducente ao grau de doutor, não conferindo ao seu titular a equivalência ao grau de licenciado ou mestre, ou ao seu reconhecimento.

A informação disponibilizada não dispensa a consulta do Aviso de Abertura disponível nesta página.

Reconhecimento da Aprendizagem Prévia
De acordo com o Regulamento de Creditação de Formação Anterior e de Experiência Profissional da Universidade de Coimbra.
Enquadramento Legal da Qualificação
A qualificação tem enquadramento no Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de março, na redação atual; Portaria n.º 782/2009, de 23 de julho.
Saídas Profissionais
Profissões: Perito, consultor, assessor especializado em questões de género
Empregadores: Organizações internacionais: organizações do sistema das Nações Unidas e respetivos escritórios regionais em todo o mundo (UNIFEM, OIT, OIM, UNICEF, UNESCO e outras), União Europeia, Parlamento Europeu, ONGs; Organizações públicas nacionais: governo (diversos ministérios), Assembleia da República, autarquias, Comissão para a Igualdade de Género, ACIME, Conselho Nacional de Educação; Associações diversas; Empresas.
Funções: Realização de estudos de consultoria, desenvolvimento de projetos de políticas públicas, de ajuda ao desenvolvimento, de formação com dimensões específicas de género, no âmbito dos direitos cívicos e políticos, do trabalho, da família, da saúde, da violência, da deficiência, da educação, das migrações, da integração social e multicultural, da resolução de conflitos; realização de ações de formação em todas estas áreas; consultoria jurídica e defesa de mulheres em processos judiciais com especificidades de género; assistência técnica.
Competências: Conhecimento aprofundado das questões de género de um modo transversal a várias áreas e setores; capacidade de desenvolvimento de programas de pesquisa, de análises de consultoria, de programas de formação; capacidade de elaboração, implementação e gestão de projetos de intervenção social; capacidade de realização de ações de formação de formadores e formação de mulheres a diferentes níveis; capacidade de captação e gestão de fundos; lobbying.
Regras de Avaliação e Classificação
Sendo a avaliação uma atividade pedagógica indissociável do ensino, destina-se a apurar as competências e os conhecimentos adquiridos pelos estudantes, o seu espírito crítico, a capacidade de enunciar e de resolver problemas, bem como o seu domínio da exposição escrita e oral. São admitidos a provas de avaliação os estudantes inscritos nas respetivas unidades curriculares no ano letivo a que as provas dizem respeito e, simultaneamente, inscritos nessas provas, quando tal inscrição for necessária, nos termos do nº 6 do artigo 4º do Regulamento Pedagógico da Universidade de Coimbra. Entendem-se por elementos de avaliação os seguintes exemplos: Exame escrito ou oral, testes, trabalhos escritos ou práticos, bem como projetos, individuais ou em grupo, que poderão ter de ser defendidos oralmente e a participação nas aulas. A avaliação de cada unidade curricular pode incluir um ou mais dos elementos de avaliação indicados anteriormente. A classificação de cada estudante, para cada unidade curricular, traduz-se num valor inteiro compreendido entre 0 e 20 valores e consideram-se aprovados os estudantes que obtiverem a classificação final mínima de 10 valores. Sempre que a avaliação de uma unidade curricular compreenda mais do que um elemento de avaliação, a nota final é calculada a partir das classificações obtidas em cada elemento de avaliação, através de uma fórmula tornada pública na ficha de unidade curricular, nos termos do nº 2 do artigo 7º do RPUC.
Requisitos para Obtenção da Qualificação

Obtenção com aproveitamento a um conjunto de unidades curriculares que perfaçam um total de 240 ECTS que incluem também a defesa em provas públicas de uma tese original.

Plano de Estudos
Avisos de Abertura
Calendário
1º Semestre
Data de início: 11-09-2017
Data de fim: 21-12-2017
2º Semestre
Data de início: 05-02-2018
Data de fim: 30-05-2018
Acreditações
- A3ES
Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior
Período(s)
  • 2015-05-19 a 2021-05-18
R/A-CR 112/2015 - DGES
Direcção Geral de Ensino Superior
Período(s)
  • 2015-07-16