a carregar...

Mestrado Integrado em Arquitetura

Departamento de Arquitectura

abrir site outros cursos
Ano lectivo

2017-2018

Código DGES

9257

Tipo de Curso

1º e 2º Ciclo - Mestrado Integrado

Qualificação Atribuída

Mestre

Duração

10 Semestre(s)

Créditos ECTS

300.0

Categoria

Mestrado Integrado

Coordenador(es) do Curso

Gonçalo Esteves de Oliveira do Canto Moniz (gmoniz@darq.uc.pt)

Coordenador(es) Departamental(ais) ECTS

Armando Manuel de Castilho Rabaça Correia Cordeiro (rabaca.darq@gmail.com)

Objetivos Gerais do Curso
O objetivo do Ciclo de Estudos do Mestrado Integrado de Arquitetura é a formação de arquitetos capazes e responsáveis do ponto de vista técnico, artístico, teórico, crítico e cívico, aptos a criar projetos de arquitetura que tenham em conta as necessidades dos cidadãos, em cada contexto e programa, assim como a lidar com os vários aspetos conexos ao conceito de arquitetura, nomeadamente nas áreas da Teoria, História e Cidade. Nesse sentido, é também objetivo alcançar um equilíbrio entre aspetos teóricos e práticos acometidos à arquitetura. É ainda objetivo geral do curso apetrechar os estudantes para o conhecimento das realidades locais, da região e do país, enquadrando ainda outras áreas de atuação numa escala global. É ainda determinante a consideração dos cenários dinâmicos com que a prática e a teoria de arquitetura se confrontam na contemporaneidade, com vista à criação de uma sensibilidade actante e reflexiva.
Objetivos da Aprendizagem e Competências a Desenvolver
A prática arquitetónica, nos seus diversos universos de aplicação, confina com aspetos tecnológicos de grande complexidade e em constante evolução que requerem níveis de formação elevados e com forte interdisciplinaridade. As transformações em curso num mundo globalizado, colocam novos desafios de natureza económica, cultural, social, ética e ambiental, para os quais o Arquiteto deverá estar sensível, tendo sempre em atenção que um dos resultados da sua intervenção profissional deverá ser a beleza e nunca o capricho. A formação do Arquiteto deverá permitir-lhe estar preparado para assumir com eficácia e qualidade as diversas fases do projeto, desde o conceito até ao acompanhamento da obra. Por outro lado, deverá também estar preparado para participar nos diferentes estágios do processo de produção do espaço construído: planeamento – conceção – construção – manutenção – gestão. De acordo com as competências genéricas identificadas no projeto "Tuning", o DARQ definiu os seguintes objetivos de aprendizagem: 1. Cultura arquitetónica - Conhecimento adequado da história e das teorias da arquitetura, bem como das artes, tecnologias e ciências humanas conexas. 2. Entendimento do espaço - Capacidade para conceber projetos de arquitetura que satisfaçam as exigências espaciais, ambientais, culturais e técnicas. 3. Relacionamento de escalas e proporções - Capacidade de apreender as relações entre, por um lado, o homem e os edifícios e, por outro, entre os edifícios e o seu ambiente. 4. Entendimento da construção - Conhecimento dos problemas de conceção estrutural, de construção e de engenharia civil relacionados com a conceção de edifícios. 5. Autonomia de trabalho na conceção - Capacidade para elaborar de forma autónoma os atos próprios da profissão. 6. Capacidade de síntese - Capacidade para entender os diversos problemas projetuais como um todo sistémico. 7. Capacidade crítica - Capacidade para estabelecer relações operativas entre os problemas projetuais que se lhe deparam e os conhecimentos adquiridos em matéria tecnológica, cultural e social. 8. Capacidade de comunicação pelo desenho - Habilitação para conceber e ordenar espaços através do desenho manual e digital. 9. Capacidade de comunicação oral e escrita - Capacidade para comunicar o trabalho produzido, através da linguagem oral e escrita . 10. Capacidade de coordenação - Capacidade para coordenar as diversas matérias que informam o projeto. 11. Conhecimento da cultura artística - Capacidade de potenciar conhecimentos do âmbito artístico no desenvolvimento de sensibilidades estéticas e compositivas, no relacionamento entre formas e ideias, na complexidade do pensamento operativo.
Regime de Estudo
A tempo integral em regime presencial
Acesso a um Nível de Estudos Superior
Doutoramento
Condições de Acesso e Ingresso

Um dos seguintes conjuntos:

03 Desenho + 10 Geometria Descritiva
ou
10 Geometria Descritiva + 16 Matemática
ou
10 Geometria Descritiva + 12 História da Cultura e das Artes

A informação disponibilizada não dispensa a consulta à página da Direção Geral do Ensino Superior (DGES) e/ou a página dos Candidatos. Consultar página web da DGES e dos Candidatos

Reconhecimento da Aprendizagem Prévia
O reconhecimento é feito em função das habilitações exigidas e das notas curriculares, obtidas pelos candidatos, expressas no boletim de candidatura ao Curso.
Enquadramento Legal da Qualificação
A qualificação tem enquadramento no Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de Março, alterado e republicado pelo DL n.º 107/2008, de 25 de Junho; Portaria n.º 782/2009, de 23 de Julho.
Saídas Profissionais
Exercício da profissão liberal (arquitectura e planeamento urbano), docência e investigação em universidades, administração pública central e local (Serviços Ministeriais, Comissões de Coordenação Regional, Autarquias, Gabinetes Técnicos Locais), empresas de projecto e construção do espaço físico e urbano.
Regras de Avaliação e Classificação
Sendo a avaliação uma atividade pedagógica indissociável do ensino, destina-se a apurar as competências e os conhecimentos adquiridos pelos estudantes, o seu espírito crítico, a capacidade de enunciar e de resolver problemas, bem como o seu domínio da exposição escrita e oral. São admitidos a provas de avaliação os estudantes inscritos nas respetivas unidades curriculares no ano letivo a que as provas dizem respeito e, simultaneamente, inscritos nessas provas, quando tal inscrição for necessária, nos termos do nº 6 do artigo 4º do Regulamento Pedagógico da Universidade de Coimbra. Entendem-se por elementos de avaliação os seguintes exemplos: Exame escrito ou oral, testes, trabalhos escritos ou práticos, bem como projetos, individuais ou em grupo, que poderão ter de ser defendidos oralmente e a participação nas aulas. A avaliação de cada unidade curricular pode incluir um ou mais dos elementos de avaliação indicados anteriormente. A classificação de cada estudante, para cada unidade curricular, traduz-se num valor inteiro compreendido entre 0 e 20 valores e consideram-se aprovados os estudantes que obtiverem a classificação final mínima de 10 valores. Sempre que a avaliação de uma unidade curricular compreenda mais do que um elemento de avaliação, a nota final é calculada a partir das classificações obtidas em cada elemento de avaliação, através de uma fórmula tornada pública na ficha de unidade curricular, nos termos do nº 2 do artigo 7.º do RPUC.
Requisitos para Obtenção da Qualificação

Defesa pública de uma dissertação

Plano de Estudos
Avisos de Abertura
Calendário
1º Semestre
Data de início: 11-09-2017
Data de fim: 21-12-2017
2º Semestre
Data de início: 05-02-2018
Data de fim: 30-05-2018
Acreditações
- A3ES
Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior
Período(s)
  • 2014-03-03 a 2020-03-02
R/A-Ef 1584/2011 - DGES
Direcção Geral de Ensino Superior
Período(s)
  • 2011-03-18