a carregar...

Mestrado Integrado em Engenharia Civil

Departamento de Engenharia Civil

abrir site outros cursos
Ano lectivo

2017-2018

Código DGES

9360

Tipo de Curso

1º e 2º Ciclo - Mestrado Integrado

Qualificação Atribuída

Mestre

Duração

10 Semestre(s)

Créditos ECTS

300.0

Categoria

Mestrado Integrado

Coordenador(es) do Curso

Rui António Duarte Simões (rads@dec.uc.pt)

Coordenador(es) Departamental(ais) ECTS

Paulo Jorge Rodrigues Amado Mendes (pamendes@dec.uc.pt)

Objetivos Gerais do Curso
Objectivos
O Mestrado Integrado em Engenharia Civil (MIEC) do DEC-FCTUC entrou em funcionamento no ano lectivo de 2007-2008, substituindo a anterior licenciatura em Engenharia Civil. Esta alteração foi suscitada pela necessidade de adaptação do curso de Engenharia Civil a um novo formato compatível com as orientações definidas pelo Protocolo de Bolonha. A estrutura e conteúdo curriculares têm em vista proporcionar uma formação sólida para o exercício profissional da Engenharia Civil nas suas múltiplas vertentes de actividade.
Estrutura curricular
O MIEC está estruturado em dois ciclos de estudos. O primeiro, com a duração de três anos, confere uma Licenciatura em Ciências da Engenharia Civil, consistindo essencialmente de disciplinas ou unidades curriculares generalistas (Matemática, Física, Química, Desenho, Estatística,...) e de formação básica em Engenharia Civil. A conclusão do 1º ciclo requer a obtenção de 180 unidades de crédito ou ECTS (European Credit Transfer System), repartidos igualmente por cada um dos três anos.
O segundo ciclo, ao qual têm acesso assegurado os alunos do primeiro ciclo do MIEC, tem a duração de dois anos, conferindo um título de Mestre em Engenharia Civil. O último ano é preenchido por unidades curriculares de uma das seis Áreas de Especialização do DEC e pela elaboração de uma Dissertação de Mestrado. O 2º ciclo corresponde a 120 ECTS adicionais, 60 em cada um dos dois anos.
A obtenção do grau de Mestre requer, por conseguinte, a conclusão de um total de 300 ECTS.
Regime de Estudo
A tempo integral e regime presencial
Acesso a um Nível de Estudos Superior
Doutoramento em diversas áreas das Ciências da Engenharia
Condições de Acesso e Ingresso

Física e Química (07) e Matemática A(19).

A informação disponibilizada não dispensa a consulta à página da Direção Geral do Ensino Superior (DGES) e/ou a página dos Candidatos. Consultar página web da DGES e dos Candidatos

Reconhecimento da Aprendizagem Prévia
Acreditação ou reconhecimento de competências possível com base na comparação curricular e credibilidade da instituição de origem
Enquadramento Legal da Qualificação
A qualificação tem enquadramento no Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de Março, alterado e republicado pelo DL n.º 107/2008, de 25 de Junho; Portaria n.º 782/2009, de 23 de Julho.
Saídas Profissionais
Todas as proporcionadas por uma formação de qualidade em Engenharia Civil, nomeadamente: planeamento, direcção, gestão ou fiscalização de obras, projecto, cargos de gestão, consultoria, etc.
O exercício destas funções pode ter lugar em qualquer sector de actividade: Construção, Banca e Seguros, Indústria extractiva ou transformadora, Serviços, Administração Pública Central ou Local, ou ainda por iniciativa pessoal (Empresário ou Profissional Liberal). Embora a maior fatia de recém-formados inicie ainda a sua vida profissional no país, o mercado potencial de recrutamento profissional é hoje praticamente ilimitado, constatando-se a presença de engenheiros portugueses (e do DEC, em particular) em praticamente todos os continentes e em numerosos países europeus, seja por via de empresas nas quais se enquadram, seja por iniciativa pessoal.
Regras de Avaliação e Classificação
Sendo a avaliação uma atividade pedagógica indissociável do ensino, destina-se a apurar as competências e os conhecimentos adquiridos pelos estudantes, o seu espírito crítico, a capacidade de enunciar e de resolver problemas, bem como o seu domínio da exposição escrita e oral. São admitidos a provas de avaliação os estudantes inscritos nas respetivas unidades curriculares no ano letivo a que as provas dizem respeito e, simultaneamente, inscritos nessas provas, quando tal inscrição for necessária, nos termos do nº 6 do artigo 4º do Regulamento Pedagógico da Universidade de Coimbra. Entendem-se por elementos de avaliação os seguintes exemplos: Exame escrito ou oral, testes, trabalhos escritos ou práticos, bem como projetos, individuais ou em grupo, que poderão ter de ser defendidos oralmente e a participação nas aulas. A avaliação de cada unidade curricular pode incluir um ou mais dos elementos de avaliação indicados anteriormente. A classificação de cada estudante, para cada unidade curricular, traduz-se num valor inteiro compreendido entre 0 e 20 valores e consideram-se aprovados os estudantes que obtiverem a classificação final mínima de 10 valores. Sempre que a avaliação de uma unidade curricular compreenda mais do que um elemento de avaliação, a nota final é calculada a partir das classificações obtidas em cada elemento de avaliação, através de uma fórmula tornada pública na ficha de unidade curricular, nos termos do nº 2 do artigo 7.º do RPUC.
Requisitos para Obtenção da Qualificação

300 ECTS: 180 ECTS no 1º ciclo de estudos e 120 ECTS no 2º ciclo de estudos. Defesa pública de uma dissertação.

Plano de Estudos
Tronco comum
Áreas de especialização
Avisos de Abertura
Calendário
1º Semestre
Data de início: 11-09-2017
Data de fim: 21-12-2017
2º Semestre
Data de início: 05-02-2018
Data de fim: 30-05-2018
Acreditações
- A3ES
Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior
Período(s)
  • 2013-09-26 a 2019-09-25
R/A-Ef 3432/2011 - DGES
Direcção Geral de Ensino Superior
Período(s)
  • 2011-03-18