Mestrado Integrado em Engenharia Civil

Objetivos do Curso

Objectivos
O Mestrado Integrado em Engenharia Civil (MIEC) do DEC-FCTUC entrou em funcionamento no ano lectivo de 2007-2008, substituindo a anterior licenciatura em Engenharia Civil. Esta alteração foi suscitada pela necessidade de adaptação do curso de Engenharia Civil a um novo formato compatível com as orientações definidas pelo Protocolo de Bolonha. A estrutura e conteúdo curriculares têm em vista proporcionar uma formação sólida para o exercício profissional da Engenharia Civil nas suas múltiplas vertentes de actividade.
Estrutura curricular
O MIEC está estruturado em dois ciclos de estudos. O primeiro, com a duração de três anos, confere uma Licenciatura em Ciências da Engenharia Civil, consistindo essencialmente de disciplinas ou unidades curriculares generalistas (Matemática, Física, Química, Desenho, Estatística,...) e de formação básica em Engenharia Civil. A conclusão do 1º ciclo requer a obtenção de 180 unidades de crédito ou ECTS (European Credit Transfer System), repartidos igualmente por cada um dos três anos.
O segundo ciclo, ao qual têm acesso assegurado os alunos do primeiro ciclo do MIEC, tem a duração de dois anos, conferindo um título de Mestre em Engenharia Civil. O último ano é preenchido por unidades curriculares de uma das seis Áreas de Especialização do DEC e pela elaboração de uma Dissertação de Mestrado. O 2º ciclo corresponde a 120 ECTS adicionais, 60 em cada um dos dois anos.
A obtenção do grau de Mestre requer, por conseguinte, a conclusão de um total de 300 ECTS.

Condições de Acesso e Ingresso

Física e Química (07) e Matemática A(19).

A informação disponibilizada não dispensa a consulta à página da Direção Geral do Ensino Superior (DGES) e/ou a página dos Candidatos. Consultar página web da DGES e dos Candidatos

Saídas Profissionais

Todas as proporcionadas por uma formação de qualidade em Engenharia Civil, nomeadamente: planeamento, direcção, gestão ou fiscalização de obras, projecto, cargos de gestão, consultoria, etc.
O exercício destas funções pode ter lugar em qualquer sector de actividade: Construção, Banca e Seguros, Indústria extractiva ou transformadora, Serviços, Administração Pública Central ou Local, ou ainda por iniciativa pessoal (Empresário ou Profissional Liberal). Embora a maior fatia de recém-formados inicie ainda a sua vida profissional no país, o mercado potencial de recrutamento profissional é hoje praticamente ilimitado, constatando-se a presença de engenheiros portugueses (e do DEC, em particular) em praticamente todos os continentes e em numerosos países europeus, seja por via de empresas nas quais se enquadram, seja por iniciativa pessoal.

Regime de Estudo

A tempo integral e regime presencial

Língua(s) de Aprendizagem / Avaliação

Português

Regras de Avaliação

Sendo a avaliação uma atividade pedagógica indissociável do ensino, destina-se a apurar as competências e os conhecimentos adquiridos pelos estudantes, o seu espírito crítico, a capacidade de enunciar e de resolver problemas, bem como o seu domínio da exposição escrita e oral. São admitidos a provas de avaliação os estudantes inscritos nas respetivas unidades curriculares no ano letivo a que as provas dizem respeito e, simultaneamente, inscritos nessas provas, quando tal inscrição for necessária, nos termos do nº 6 do artigo 4º do Regulamento Pedagógico da Universidade de Coimbra. Entendem-se por elementos de avaliação os seguintes exemplos: Exame escrito ou oral, testes, trabalhos escritos ou práticos, bem como projetos, individuais ou em grupo, que poderão ter de ser defendidos oralmente e a participação nas aulas. A avaliação de cada unidade curricular pode incluir um ou mais dos elementos de avaliação indicados anteriormente. A classificação de cada estudante, para cada unidade curricular, traduz-se num valor inteiro compreendido entre 0 e 20 valores e consideram-se aprovados os estudantes que obtiverem a classificação final mínima de 10 valores. Sempre que a avaliação de uma unidade curricular compreenda mais do que um elemento de avaliação, a nota final é calculada a partir das classificações obtidas em cada elemento de avaliação, através de uma fórmula tornada pública na ficha de unidade curricular, nos termos do nº 2 do artigo 7.º do RPUC.

Coordenador(es) do Curso

Paulo José Venda Oliveira
pjvo@dec.uc.pt

Coordenador de mobilidade

João Carlos dos Santos Alves Vieira
jvieira@dec.uc.pt

Reconhecimento da Aprendizagem Prévia

Acreditação ou reconhecimento de competências possível com base na comparação curricular e credibilidade da instituição de origem

Enquadramento Legal da Qualificação

A qualificação tem enquadramento no Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de Março, alterado e republicado pelo DL n.º 107/2008, de 25 de Junho; Portaria n.º 782/2009, de 23 de Julho.

Requisitos para Obtenção da Qualificação

300 ECTS: 180 ECTS no 1º ciclo de estudos e 120 ECTS no 2º ciclo de estudos. Defesa pública de uma dissertação.

Acesso a um Nível de Estudos Superior

Doutoramento em diversas áreas das Ciências da Engenharia

Plano de Estudos

Tronco comum
Mestrado Integrado em Engenharia Civil
Áreas de especialização
Área de Especialização em Construções
Área de Especialização em Estruturas
Área de Especialização em Geotecnia
Área de Especialização em Hidráulica, Recursos Hídricos e Ambiente
Área de Especialização em Mecânica Estrutural
Área de Especialização em Urbanismo, Transportes e Vias de Comunicação

Ano lectivo
2018-2019

Tipo de Curso
1º e 2º Ciclo - Mestrado Integrado

Código DGES: 9360

Qualificação Atribuída: Mestre

Duração: 10 Semestre(s)

Créditos ECTS: 300.0

Categoria: Mestrado Integrado


Candidaturas

Avisos de Abertura


Calendário

1º Semestre
Data de início: 10-09-2018
Data de fim: 20-12-2018
2º Semestre
Data de início: 04-02-2019
Data de fim: 30-05-2019

Acreditações

Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior
2013-09-26 a 2019-09-25
Direcção Geral de Ensino Superior
2011-03-18