a carregar...

Licenciatura em Física

Departamento de Física

abrir site outros cursos
Ano lectivo

2017-2018

Código DGES

9141

Tipo de Curso

1º Ciclo - Licenciatura

Qualificação Atribuída

Licenciado

Duração

6 Semestre(s)

Créditos ECTS

180.0

Coordenador(es) do Curso

João Manuel de Sá Campos Gil (jmgil@ci.uc.pt)

Coordenador(es) Departamental(ais) ECTS

Maria Isabel Silva Ferreira Lopes (isabel@lipc.fis.uc.pt)

Objetivos Gerais do Curso
O 1º ciclo em Física visa desenvolver: conhecimento e compreensão profundos de Física Básica; capacidade de
análise e síntese; capacidade de aprender; criatividade, aplicação prática do conhecimento; adaptabilidade;
capacidade crítica e autocrítica; contacto com a profissão; capacidade de investigar; interdisciplinaridade;
comunicação oral e escrita; consciência ética; competências interpessoais; computação elementar, tomada de
decisões; capacidade estimativa; capacidade matemática; competência experimental; resolução de problemas;
competência em modelação; pesquisa bibliográfica.
O 1º ciclo de estudos permite ao diplomado prosseguir os seus estudos numa universidade nacional ou
estrangeira. Confere também formação para um conjunto de saídas profissionais que não exijam forte
especialização em Física, como técnicos em instituições públicas ou privadas, animadores e divulgadores de
ciência, e outras actividades na área das tecnologias da informação.
Objetivos da Aprendizagem e Competências a Desenvolver
Os alunos no final do 1º ciclo do curso de Física deverão:
- ter sólido conhecimento das teorias físicas mais importantes (estrutura lógica e matemática, suporte experimental
e fenómenos físicos abrangidos), incluindo um conhecimento profundo dos fundamentos da Física Moderna, como
por exemplo Mecânica Quântica, .
- ser capazes de realizar experiências autonomamente, assim como descrever, analisar, e avaliar criticamente
dados experimentais, e estar familiarizados com os métodos experimentais mais importantes - através da
componente laboratorial presente em muitas das disciplinas lecionadas;
- ter adquirido a compreensão do modo como a investigação em Física se processa e de como se aplica a tantos
outros domínios distintos, como a engenharia.
- ser capazes de desenvolver as atividades seguintes: atividades profissionais no âmbito das tecnologias
aplicadas, tanto industriais como laboratoriais, genericamente relacionadas com Física, ou em particular com
radio-proteção, telecomunicações, telesensores, controlo remoto e controlo de qualidade, participar em atividades
básicas de centros de investigação públicos e privados, ser responsáveis pela análise e modelação de aspetos
físicos simples de um problema, planear e gerir tecnologias básicas relacionadas com a Física em setores como a
indústria, ambiente, saúde, cultura, administração pública e banca, levar a cabo a popularização a vários níveis de
temas da cultura científica, com ênfase para os aspetos teóricos, experimentais e aplicados da Física Clássica e Moderna;
- dominar e compreender o uso dos métodos matemáticos e numéricos básicos;
- ser capazes de realizar cálculos autonomamente, mesmo quando um computador é necessário, incluindo-se a
capacidade de utilizar e desenvolver sistemas de computação e programas básicos para processamento de
informação, cálculo numérico, simulação de processos físicos, ou controlo de experiências;
- ser capazes de trabalhar com um elevado grau de autonomia;
- ser capazes de se iniciarem em novos domínios do saber através de estudo independente;
- ser capazes de compreender os problemas sociais relacionados com a profissão e abarcar os aspetos éticos da
investigação e da atividade profissional em Física, e a sua responsabilidade na proteção da saúde pública e do
ambiente;
- ter melhorado o domínio de línguas estrangeiras através da participação em cursos ensinados noutra língua (por
exemplo estudar no estrangeiro através de programas de mobilidade/intercâmbio).
A aferição do grau de cumprimento dos objetivos propostos varia de acordo com a unidade curricular, sendo
geralmente feita através de realização de provas escritas ou orais ou através da realização de relatórios de
trabalhos realizados no âmbito de cada disciplina.
O 1º ciclo de estudos permite ao diplomado prosseguir os seus estudos no 2º ciclo (Mestrado), numa universidade
nacional ou estrangeira, onde será realçada a componente específica de profissionalização.
Regime de Estudo
O Curso é ministrado em horário diurno.
Acesso a um Nível de Estudos Superior
Mestrado
Condições de Acesso e Ingresso

Na candidatura ao 1º ciclo de estudos em Física exige-se a aprovação (10,0 em 20,0 valores) nas provas de
ingresso Concurso Nacional de Acesso de Física e Química (07) e Matemática A (19).
Existe ainda a possibilidade de ingressar no 1º ciclo de estudos em Física por:
- Regimes de Reingresso e de Mudança de Par Instituição/Curso no Ensino Superior;
- Concurso especial de acesso para maiores de 23 anos;
- Concurso especial de acesso para titulares de curso médio ou superior.
As condições de acesso a estas vias de ingresso seguem a legislação portuguesa e estão detalhadas em
http://www.uc.pt/candidatos/escola_1

A informação disponibilizada não dispensa a consulta à página da Direção Geral do Ensino Superior (DGES) e/ou a página dos Candidatos. Consultar página web da DGES e dos Candidatos

Reconhecimento da Aprendizagem Prévia
O cumprimento das condições de acesso permite o reconhecimento da aprendizagem prévia. Para os alunos que não cumpram as condições gerais e tenham mais de 23 anos, o reconhecimento da aprendizagem faz-se através de um exame próprio.
Enquadramento Legal da Qualificação
A qualificação tem enquadramento no Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de Março, alterado e republicado pelo DL n.º 107/2008, de 25 de Junho; Portaria n.º 782/2009, de 23 de Julho. O plano de estudos enquadra-se no Despacho nº 7631/2009.
Saídas Profissionais
Actividades de investigação em laboratórios de I&D, no sector dos serviços e no sector financeiro, em empresas de desenvolvimento e teste de software, em empresas de desenvolvimento e manutenção de instrumentação, em unidades de saúde; actividades de ensino e difusão de ciência no sistema de ensino, em centros interactivos de divulgação de ciência e em museus de ciência.
Regras de Avaliação e Classificação
Sendo a avaliação uma atividade pedagógica indissociável do ensino, destina-se a apurar as competências e os conhecimentos adquiridos pelos estudantes, o seu espírito crítico, a capacidade de enunciar e de resolver problemas, bem como o seu domínio da exposição escrita e oral. São admitidos a provas de avaliação os estudantes inscritos nas respetivas unidades curriculares no ano letivo a que as provas dizem respeito e, simultaneamente, inscritos nessas provas, quando tal inscrição for necessária, nos termos do nº 6 do artigo 4º do Regulamento Pedagógico da Universidade de Coimbra. Entendem-se por elementos de avaliação os seguintes exemplos: Exame escrito ou oral, testes, trabalhos escritos ou práticos, bem como projetos, individuais ou em grupo, que poderão ter de ser defendidos oralmente e a participação nas aulas. A avaliação de cada unidade curricular pode incluir um ou mais dos elementos de avaliação indicados anteriormente. A classificação de cada estudante, para cada unidade curricular, traduz-se num valor inteiro compreendido entre 0 e 20 valores e consideram-se aprovados os estudantes que obtiverem a classificação final mínima de 10 valores. Sempre que a avaliação de uma unidade curricular compreenda mais do que um elemento de avaliação, a nota final é calculada a partir das classificações obtidas em cada elemento de avaliação, através de uma fórmula tornada pública na ficha de unidade curricular, nos termos do nº 2 do artigo 7.º do RPUC.
Requisitos para Obtenção da Qualificação

A conclusão do curso obriga à obtenção de um número mínimo de 180 ECTS.

Plano de Estudos
Tronco comum
Áreas de especialização
Avisos de Abertura
Calendário
1º Semestre
Data de início: 11-09-2017
Data de fim: 21-12-2017
2º Semestre
Data de início: 05-02-2018
Data de fim: 30-05-2018
Acreditações
- A3ES
Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior
Período(s)
  • 2016-10-06 a 2022-10-05
R/A-Ef 1543/2011 - DGES
Direcção Geral de Ensino Superior
Período(s)
  • 2011-03-18