Mestrado em Engenharia de Software

Objetivos do Curso

O MES | Mestrado em Engenharia de Software tem por objetivo oferecer em Portugal formação profissional avançada em Engenharia de Software. Os graduados são profissionais absolutamente indispensáveis à indústria de software, capazes de gerir projetos de grande dimensão, complexidade e restrições impostas pelo mercado. Portugal precisa de ser capaz de formar as pessoas capazes de estar no topo da hierarquia técnica da indústria de software mundial. Os mestres em engenharia de software são necessários para a indústria de software da mesma forma que os MBAs o são para a gestão, pelo que a necessidade do mercado é evidente.

Condições de Acesso e Ingresso

Serão admitidos no MES os candidatos que reúnam uma das seguintes condições:
1. Os titulares do grau de licenciado ou equivalente legal em: Engenharia Informática, Ciências da Computação, Comunicações e Multimédia, Engenharia de Sistemas e Informática, Engenharia Eletrotécnica, Engenharia Eletrotécnica e de Computadores, Engenharia Eletrotécnica e de Telecomunicações;
2. Os titulares do grau de licenciado ou equivalente legal em outras áreas da Engenharia e das Ciências Exatas e Naturais;
3. Os titulares de um grau académico superior estrangeiro que seja reconhecido como satisfazendo os objetivos do grau de licenciado numa das áreas referidas nas alíneas anteriores pela Comissão Científica do Departamento de Engenharia Informática;
4. Em casos devidamente justificados, os detentores de um currículo escolar, científico ou profissional, que seja reconhecido como atestando capacidade para realização deste ciclo de estudos pela Comissão Científica do Departamento de Engenharia Informática.
A informação disponibilizada não dispensa a consulta do Aviso de Abertura disponível nesta página.

A informação disponibilizada não dispensa a consulta do Aviso de Abertura disponível nesta página.

Saídas Profissionais

As saídas profissionais do MES serão sobretudo as empresas de média e grande dimensão e as multinacionais, dos sectores de TIC, telecomunicações, consultoria, banca e serviços, no Espaço Europeu. Perfis: Desenvolvimento de Software, Arquiteto de Software, Gestor de Projetos de Software, Engenheiro de Requisitos, Gestor de Qualidade de Software.
Dada a orientação para o mercado de trabalho do MES e o seu caráter pós-laboral, pretende-se que uma parte substancial dos alunos estejam já inseridos no mercado de trabalho, procurando uma especialização que lhes permita alcançar outras funções dentro da empresa.
Pretende-se também que os estudantes do MES integrem, no âmbito da sua Dissertação/Estágio, equipas de investigação com vista à participação em projetos (nomeadamente em projetos Europeus), promovendo-se assim o emprego científico e a transição dos estudantes para o 3º ciclo de estudos.
A alimentação do mercado de inovação na Região Centro e a nível Nacional e Europeu, através da criação de produtos inovadores e da criação de spin-offs na área do desenvolvimento de software, será outra das saídas profissionais para os alunos do MES.

Regime de Estudo

O MES funciona em modo pós-laboral com as aulas teóricas a decorrerem, preferencialmente, ao final da tarde.

Língua(s) de Aprendizagem / Avaliação

Inglês

Regras de Avaliação

Sendo a avaliação uma atividade pedagógica indissociável do ensino, destina-se a apurar as competências e os conhecimentos adquiridos pelos estudantes, o seu espírito crítico, a capacidade de enunciar e de resolver problemas, bem como o seu domínio da exposição escrita e oral. São admitidos a provas de avaliação os estudantes inscritos nas respetivas unidades curriculares no ano letivo a que as provas dizem respeito e, simultaneamente, inscritos nessas provas, quando tal inscrição for necessária, nos termos do n.º 7 do artigo 5º do Regulamento Pedagógico da Universidade de Coimbra. Entendem-se por elementos de avaliação os seguintes exemplos: Exame escrito ou oral, testes, trabalhos escritos ou práticos, bem como projetos, individuais ou em grupo, que poderão ter de ser defendidos oralmente e a participação nas aulas. A avaliação de cada unidade curricular pode incluir um ou mais dos elementos de avaliação indicados anteriormente. A classificação de cada estudante, para cada unidade curricular, traduz-se num valor inteiro compreendido entre 0 e 20 valores e consideram-se aprovados os estudantes que obtiverem a classificação final mínima de 10 valores. Sempre que a avaliação de uma unidade curricular compreenda mais do que um elemento de avaliação, a nota final é calculada a partir das classificações obtidas em cada elemento de avaliação, através de uma fórmula tornada pública nos termos do nº1 do artigo 8º do RPUC.

Objetivos da Aprendizagem e Competências a Desenvolver

Este curso pretende também influenciar de forma profunda e positiva a oferta do ensino superior em Portugal na formação de lideres técnicos para a indústria, altamente qualificados, ensinando a aplicação prática de teorias inovadoras num ambiente de estúdio sob tutoria. Todos os alunos devem completar um percurso que consiste em cinco disciplinas nucleares, quatro disciplinas opcionais e um projeto de desenvolvimento de software de larga escala, para um cliente real.
Este mestrado define os seus objetivos de aprendizagem, operacionalizados pelas suas unidades curriculares e verificados através da análise do percurso académico dos alunos, tendo como referência o perfil necessário para profissionais capazes de, dada uma necessidade, aplicar uma abordagem sistemática, disciplinada e quantificável conducente ao desenvolvimento, operação e manutenção de um sistema de software que satisfaça os requisitos funcionais e os atributos de qualidade relevantes.
Os objetivos descritos em seguida são estruturados recorrendo aos Descritores de Dublin, integrando competências de carácter horizontal e competências específicas da profissão de engenheiro de software, entendendo-se os mesmos como requisitos para a obtenção do grau.
a) Conhecimento e capacidade de compreensão
­ Conhecer e compreender de forma crítica e aprofundada os princípios centrais da Engenharia de Software, designadamente os envolvidos nas soluções informáticas para problemas de complexidade e dimensão elevadas.
­ Compreender de forma crítica os conhecimentos envolvidos nas soluções para as principais áreas de aplicação da Engenharia de Software.
­ Conhecer as metodologias e técnicas necessárias para a realização de um projeto de software, incluindo: gestão de projetos, engenharia de requisitos, desenho de arquiteturas de software, testes e qualidade de software, integração de sistemas, etc.
b) Aplicação de conhecimentos e compreensão
­ Demonstrar capacidade para conceber, projetar e implementar soluções envolvendo os conhecimentos e conceitos adquiridos de forma reflexiva, em situações novas e não-familiares.
c) Realização de julgamento/tomada de decisões
­ Demonstrar a capacidade para integrar conhecimentos, lidar com questões complexas, julgar de modo crítico novas propostas científicas e tecnológicas, desenvolver soluções, conceber modelos, sistemas e processos ou emitir juízos em situações de informação limitada ou incompleta, com requisitos em competição, incluindo reflexões sobre as implicações e responsabilidades éticas e sociais que resultem ou condicionem essas soluções e esses juízos.
­ Demonstrar capacidade para promover a busca e a aplicação de métodos e soluções inovadoras, apelando à curiosidade, à criatividade e ao rigor.
d) Comunicação
­ Demonstrar a capacidade de comunicar as suas conclusões – e os conhecimentos e os raciocínios a elas subjacentes – quer a especialistas, quer a não especialistas, por via escrita ou oral, em contextos nacionais e internacionais, de uma forma clara e sem ambiguidades.
­ Demonstrar capacidade para trabalhar de forma cooperativa, nomeadamente em contextos de liderança envolvendo equipas heterogéneas.
e) Competências de autoaprendizagem
­ Demonstrar ter desenvolvido as competências que lhe permitam prosseguir autonomamente na ampliação dos saberes e competências, de um modo fundamentalmente auto-orientado.

Coordenador(es) do Curso

Bruno Miguel Brás Cabral
bcabral@dei.uc.pt

Coordenador de mobilidade

João Paulo da Silva Machado Garcia Vilela
jpvilela@dei.uc.pt

Jorge Miguel Sá Silva
sasilva@dei.uc.pt

Reconhecimento da Aprendizagem Prévia

Realizado de acordo com a regulamentação da Universidade de Coimbra, sendo exigida uma formação suficientemente sólida em Informática que seja reconhecida como atestando capacidade para a realização deste ciclo de estudos, no âmbito da legislação em vigor. Assinala-se, em particular, o Regulamento de Creditação de Formação Anterior e de Experiência Profissional da Universidade de Coimbra.

Enquadramento Legal da Qualificação

A qualificação tem enquadramento no Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de Março, alterado e republicado pelo DL n.º 107/2008, de 25 de Junho; Portaria n.º 782/2009, de 23 de Julho

Requisitos para Obtenção da Qualificação

Conclusão de 120 ECTS, incluindo desenvolvimento de um projeto de software para um cliente real

Acesso a um Nível de Estudos Superior

A conclusão com sucesso do MSI dará acesso a cursos de 3º ciclo, nomeadamente ao Programa Doutoral em Ciências e Tecnologias da Informação (PDCTI) do DEI/FCTUC, mediante a verificação das regras de acesso específicas desses ciclos de estudo.

Plano de Estudos

Mestrado em Engenharia de Software

Ano lectivo
2018-2019

Tipo de Curso
2º Ciclo - Mestrado de Formação ao Longo da Vida

Código DGES: 6295

Qualificação Atribuída: Mestre

Duração: 4 Semestre(s)

Créditos ECTS: 120.0

Categoria: Mestrado de Formação ao Longo da Vida


Candidaturas

Avisos de Abertura


Calendário

1º Semestre
Data de início: 10-09-2018
Data de fim: 20-12-2018
2º Semestre
Data de início: 04-02-2019
Data de fim: 30-05-2019

Acreditações

Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior
2014-09-16 a 2020-09-15
Direcção Geral de Ensino Superior
2011-03-18