a carregar...

Mestrado em Engenharia e Gestão Industrial

Departamento de Engenharia Mecânica

abrir site outros cursos
Ano lectivo

2017-2018

Código DGES

9420

Tipo de Curso

2º Ciclo - Mestrado de Continuidade

Qualificação Atribuída

Mestre

Duração

4 Semestre(s)

Créditos ECTS

120.0

Categoria

Mestrado de Continuidade

Coordenador(es) do Curso

Cristóvão Silva (cristovao.silva@dem.uc.pt)

Coordenador(es) Departamental(ais) ECTS

Fernando Jorge Ventura Antunes (fernando.ventura@dem.uc.pt)

Objetivos Gerais do Curso
O Mestrado em Engenharia e Gestão Industrial tem por objetivo dotar os seus alunos de capacidades que lhes permitam planear e gerir sistemas complexos, com fortes interações entre as variáveis humanas, financeiras, organizacionais e tecnológicas, proporcionando aos alunos uma formação sólida necessária para a sua integração no mercado de trabalho. Pretende-se assim formar quadros com competências para exercer atividades, no sector industrial e dos serviços, nas várias áreas de intervenção de um Engenheiro Industrial. O curso visa ainda fornecer uma base científica sólida na área da Engenharia e Gestão Industrial, proporcionando aos alunos as qualificações necessárias para prosseguir estudos de 3º ciclo. No final da sua formação espera-se que o aluno demonstre competências para: (1) utilizar os princípios da Engenharia e Gestão Industrial para resolver problemas reais complexos e (2) ultrapassar os desafios colocados a ele próprio, à organização onde exerce a sua atividade e à comunidade.
Objetivos da Aprendizagem e Competências a Desenvolver
As principais competências a desenvolver pelos alunos ao longo do curso são: Aplicar conhecimentos de matemática, ciências, engenharia e Gestão Industrial; Analisar e interpretar dados; Projetar um sistema ou processo para responder às necessidades considerando restrições realísticas de vários tipos – económicas, ambientais, sociais, éticas, de produtividade e sustentabilidade; Trabalhar em equipas multidisciplinares; Identificar, formular e resolver problemas típicos de Engenharia e Gestão Industrial; Comunicar de forma eficaz; Reconhecer a necessidade e ter capacidade para prosseguir a sua formação ao longo da vida; Planear, implementar e melhorar sistemas que incluem pessoas, materiais, informação, equipamentos e energia, utilizando as ferramentas analíticas, computacionais e experimentais adquiridas ao longo do curso.
Regime de Estudo
A tempo integral e regime presencial
Acesso a um Nível de Estudos Superior
Os titulares do Mestrado em Engenharia e Gestão Industrial poderão ter acesso a um 3º ciclo de estudos, conducente ao grau de Doutor, em áreas de engenharia ou Gestão
Condições de Acesso e Ingresso

1. Podem candidatar-se ao acesso ao ciclo de estudos conducente ao grau de mestre:
a) Os titulares do grau de licenciado ou equivalente legal na área de engenharia ou cursos de gestão;
b) Titulares de um grau académico superior estrangeiro conferido na sequência de um 1º ciclo de estudos organizado de acordo com os princípios do Processo de Bolonha por um Estado aderente a este Processo, nas áreas referidas na alínea a);
c) Titulares de um grau académico superior obtido no estrangeiro que seja reconhecido como satisfazendo os objectivos do grau de licenciado pelo Conselho Científico da FCTUC;
d) Em casos devidamente justificados, os detentores de um currículo científico e profissional relevante para a frequência deste ciclo de estudos e que, como tal, que seja reconhecido pelo Conselho Científico da FCTUC.
2 - O reconhecimento a que se referem as alíneas b) a d) do n.º 1 tem como efeito apenas o acesso ao ciclo de estudos conducente ao grau de mestre e não confere ao seu titular a equivalência ao grau de licenciado ou o reconhecimento desse grau.

A informação disponibilizada não dispensa a consulta do Aviso de Abertura disponível nesta página.

Reconhecimento da Aprendizagem Prévia
Existe o reconhecimento de formação prévia de acordo com o Regulamento de Creditação de Formação Anterior e de Experiência Profissional da Universidade de Coimbra, Regulamento n.º 191/2014, Diário da República, 2º série, Nº 93 de 15 de maio de 2014.
Enquadramento Legal da Qualificação
A qualificação tem enquadramento no Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de Março, alterado e republicado pelo DL n.º 107/2008, de 25 de Junho; Portaria n.º 782/2009, de 23 de Julho.
Saídas Profissionais
A formação em Engenharia e Gestão Industrial é a resposta para uma figura profissional emergente; o Engenheiro-Gestor. Essa nova figura evoluiu naturalmente devido às necessidades do mundo industrializado. O seu papel consiste em planear e gerir sistemas complexos com uma forte interação entre variáveis tecnológicas, económicas e organizacionais, com um enfoque na eficiência, produtividade e qualidade. Dada a sua formação, o Mestre em Engenharia e Gestão Industrial pode encontrar emprego em empresas industriais ou de serviços, consultoras e instituições financeiras, abarcando um vasto leque de atividades como: planear e gerir sistemas de produção ou logísticos, planeamento estratégico, garantir a qualidade de produtos e serviços e a segurança dos operadores, gestão e planeamento da inovação e da tecnologia, liderar processos de melhoria contínua ou na gestão de empresas. Um inquérito recente aos Mestres em Engenharia e Gestão Industrial já formados pelo DEM-FCTUC mostra que estes se encontram a realizar atividades nos serviços, em empresas de consultoria e, maioritariamente, no setor industrial em funções ligadas à: produção, qualidade, logística, manutenção e melhoria de processos.
Regras de Avaliação e Classificação
Sendo a avaliação uma atividade pedagógica indissociável do ensino, destina-se a apurar as competências e os conhecimentos adquiridos pelos estudantes, o seu espírito crítico, a capacidade de enunciar e de resolver problemas, bem como o seu domínio da exposição escrita e oral. São admitidos a provas de avaliação os estudantes inscritos nas respetivas unidades curriculares no ano letivo a que as provas dizem respeito e, simultaneamente, inscritos nessas provas, quando tal inscrição for necessária, nos termos do nº 6 do artigo 4º do Regulamento Pedagógico da Universidade de Coimbra. Entendem-se por elementos de avaliação os seguintes exemplos: Exame escrito ou oral, testes, trabalhos escritos ou práticos, bem como projetos, individuais ou em grupo, que poderão ter de ser defendidos oralmente e a participação nas aulas. A avaliação de cada unidade curricular pode incluir um ou mais dos elementos de avaliação indicados anteriormente. A classificação de cada estudante, para cada unidade curricular, traduz-se num valor inteiro compreendido entre 0 e 20 valores e consideram-se aprovados os estudantes que obtiverem a classificação final mínima de 10 valores. Sempre que a avaliação de uma unidade curricular compreenda mais do que um elemento de avaliação, a nota final é calculada a partir das classificações obtidas em cada elemento de avaliação, através de uma fórmula tornada pública através da ficha anual de unidade curricular, nos termos do nº 2 do artigo 7º do RPUC. A disciplina de Dissertação/Estágio é avaliada em provas públicas perante um júri composto por três elementos.
Requisitos para Obtenção da Qualificação

Defesa pública de uma dissertação

Plano de Estudos
Avisos de Abertura
Calendário
1º Semestre
Data de início: 11-09-2017
Data de fim: 21-12-2017
2º Semestre
Data de início: 05-02-2018
Data de fim: 30-05-2018
Acreditações
- A3ES
Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior
Período(s)
  • 2015-02-18 a 2021-02-17
R/A-Ef 1566/2011 - DGES
Direcção Geral de Ensino Superior
Período(s)
  • 2011-03-18