a carregar...

Doutoramento em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química

Departamento de Engenharia Química

Entidade s parceira s : Universidade Nova de Lisboa, Universidade de Aveiro, Universidade do Porto, Universidade de Lisboa

abrir site outros cursos
Ano lectivo

2015-2016

Código DGES

5756

Tipo de Curso

3º Ciclo - Doutoramento

Qualificação Atribuída

Doutor

Duração

3 Ano(s)

Créditos ECTS

180.0

Propina Anual

6370.0 €

Coordenador(es) do Curso

Nuno Manuel Clemente de Oliveira (nuno@eq.uc.pt)

Coordenador(es) Departamental(ais) ECTS

Margarida Maria João de Quina (guida@eq.uc.pt)

Objetivos Gerais do Curso
Este programa de Doutoramento visa formar profissionais altamente qualificados, capazes de desempenhar um papel de relevo ao nível da investigação, desenvolvimento tecnológico, endogeneização de tecnologias, empreendedorismo e liderança em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química com um impacto direto nas empresas com quem trabalham.
O curso supra identificado é constituído por uma primeira parte curricular, designada “curso de doutoramento” e por uma segunda parte destinada à elaboração de uma tese. Este doutoramento tem uma duração normal de 3 trimestres correspondentes ao curso de doutoramento, seguindo -se 4 semestres correspondentes à elaboração da tese, podendo a sua duração ser prorrogada nos termos do regulamento de doutoramento da instituição onde o estudante se inscreve para realização da sua tese de doutoramento.
Objetivos da Aprendizagem e Competências a Desenvolver
Pretende-se que, com este ciclo de estudos, os doutorandos desenvolvam competências, aptidões e métodos de investigação no domínio da Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química, nomeadamente: -Capacidade de compreensão sistemática neste domínio científico e tecnológico; -Capacidade para conceber, projetar, adaptar e realizar investigação científica, e desenvolvimento tecnológico sujeito às exigências legais e respeitando os mais elevados padrões éticos e de qualidade e integridade académica e empresarial; -Capacidade para conceber, projetar, adaptar e contribuir para a produção ou instalação de novos produtos ou processos, sujeitos às exigências legais e aos mais elevados padrões de qualidade; -Capacidade efetiva para realizar trabalhos de investigação original que contribuam para o alargamento das fronteiras do conhecimento e que mereçam divulgação em publicações com sistemas de avaliação prévia; -Capacidade de análise crítica, avaliação e síntese de ideias novas e complexas; -Capacidade de comunicação com os seus pares, a restante comunidade académica e empresarial, e a sociedade em geral sobre a área em que se especializaram; -Capacidade para, numa sociedade baseada no conhecimento, promover o progresso tecnológico, social e cultural, em contexto académico ou profissional.
Regime de Estudo
Diurno (pós-laboral)
Acesso a um Nível de Estudos Superior
Não aplicável
Condições de Acesso e Ingresso

1. Podem candidatar-se ao acesso ao ciclo de estudos conducente ao grau de doutor:
a) Os titulares do grau de mestre ou equivalente legal em Engenharia Química ou numa área científica afim;
b) Os titulares do grau de licenciado em Engenharia Química ou numa área científica afim, detentores de um currículo escolar ou científico especialmente relevante que seja reconhecido como atestando capacidade para a realização deste ciclo de estudos pelo Conselho Científico da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra;
c) Os detentores de um currículo escolar, científico ou profissional que seja reconhecido como atestando capacidade para a realização deste ciclo de estudos pelo Conselho Científico da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra.
2 - O reconhecimento a que se referem as alíneas b) e c) do n.º 1 tem como efeito apenas o acesso ao ciclo de estudos conducente ao grau de doutor e não confere ao seu titular a equivalência ao grau de licenciado ou mestre, ou o seu reconhecimento.

A informação disponibilizada não dispensa a consulta do Aviso de Abertura disponível nesta página.

Reconhecimento da Aprendizagem Prévia
O reconhecimento de formação prévia nesta área de estudos e de competências adquiridas ao longo da experiência profissional dos candidatos é possível, decorrendo segundo o modelo em vigor resultante da adequação destes cursos ao modelo de Bolonha.
Enquadramento Legal da Qualificação
DL n.º 74/2006, de 24 de Março, alt DL n.º 107/2008, de 25 de Junho e pelo DL n.º 230/2009, de 14 de Setembro e nos termos do DL n.os 42/2005, de 22 de Fevereiro, e dos Desp n.os 10543/2005 e 7287 -C/2006, e registo de criação DGES n.º R/B -CR -235/2009
Saídas Profissionais
• Indústrias Químicas: celulose e papel, cerâmica e vidro, cimentos, petroquímica, plásticos, detergentes, tintas, têxtil.
• Indústria farmacêutica e biotecnológica.
• Ambiente: soluções de tratamento de efluentes domésticos e industriais.
• Consultoria e licenciamento industrial e ambiental, qualidade e ambiente.
• Sector público: administração central e regional.
• Investigação e Desenvolvimento.
Regras de Avaliação e Classificação
Sendo a avaliação uma actividade pedagógica indissociável do ensino, destina-se a apurar as competências e os conhecimentos adquiridos pelos estudantes, o seu espírito crítico, a capacidade de enunciar e de resolver problemas, bem como o seu domínio da exposição escrita e oral. São admitidos a provas de avaliação os estudantes inscritos nas respectivas unidades curriculares no ano lectivo a que as provas dizem respeito e, simultaneamente, inscritos nessas provas, quando tal inscrição for necessária, nos termos do n.º 7 do artigo 5º do Regulamento Pedagógico da Universidade de Coimbra.
Entendem-se por elementos de avaliação os seguintes exemplos: Exame escrito ou oral, testes, trabalhos escritos ou práticos, bem como projectos, individuais ou em grupo, que poderão ter de ser defendidos oralmente e a participação nas aulas. A avaliação de cada unidade curricular pode incluir um ou mais dos elementos de avaliação indicados anteriormente.
A classificação de cada estudante, para cada unidade curricular, traduz-se num valor inteiro compreendido entre 0 e 20 valores e consideram-se aprovados os estudantes que obtiverem a classificação final mínima de 10 valores
9. Sempre que a avaliação de uma unidade curricular compreenda mais do que um elemento de avaliação, a nota final é calculada a partir das classificações obtidas em cada elemento de avaliação, através de uma fórmula tornada pública nos termos do nº1 do artigo 8º do RPUC. O docente deve prestar toda a informação suplementar solicitada pelo Conselho Pedagógico.
O Conselho Pedagógico de cada Faculdade pode sugerir alterações aos regimes de avaliação propostos, depois de ouvido o docente da unidade curricular, tendo em conta a apreciação que faz do esforço previsto, por estudante, para cada uma das formas de avaliação e outros aspectos que entenda relevantes.
Requisitos para Obtenção da Qualificação

É necessário completar a parte curricular, designada por “curso de doutoramento”, de acordo com a estrutura do plano de estudos prevista no Despacho n.º 3905/2010 de 3 de Março de 2010, e obter aprovação no acto público de discussão da tese apresentada. Aos candidatos que satisfaçam estes requisitos é atribuído o grau de Doutor em “Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química” conferido e titulado pelas Universidades que instituem este Programa.

Plano de Estudos
Calendário
1º Semestre
Data de início: 14-09-2015
Data de início (primeiro ano): 14-09-2015
Data de fim: 21-12-2015
2º Semestre
Data de início: 08-02-2016
Data de fim: 27-05-2016
Acreditações
- A3ES
Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior
Período(s)
  • 2014-05-28 a 2020-05-27
R/A-Ef 1405/2011 - DGES
Direcção Geral de Ensino Superior
Período(s)
  • 2011-03-18