a carregar...

Doutoramento em Território, Risco e Políticas Públicas

Instituto de Investigação Interdisciplinar

Entidade s parceira s : Universidade de Aveiro, Universidade de Lisboa

abrir site outros cursos
Ano lectivo

2015-2016

Código DGES

5825

Tipo de Curso

3º Ciclo - Doutoramento

Qualificação Atribuída

Doutor

Duração

4 Ano(s)

Créditos ECTS

240.0

Propina Anual

2000.0 €

Coordenador(es) do Curso

José Manuel Oliveira Mendes (jomendes@fe.uc.pt)

Objetivos Gerais do Curso
O programa doutoral tem como objetivo dar uma formação sólida nas áreas relacionadas com o risco.
O programa estrutura-se em três linhas estratégicas: a) promoção de uma visão crítica, tanto em relação aos conceitos de risco, de vulnerabilidade e de resiliência sociais, como aos instrumentos de avaliação e gestão do risco, tendo em conta as dimensões contextuais dos riscos (dimensão sociológica); b) a possibilidade dos formandos se envolverem na análise de riscos no contexto de diversos programas e planos de desenvolvimento e ordenamento do território, em estudos de avaliação de políticas e em projetos com incidência territorial (dimensão de planeamento); c) análise dos riscos ambientais e das mudanças climáticas, avaliando criticamente as políticas de governação internacionais e nacionais nesta área (dimensão ambiental). O programa TRPP pretende também estabelecer formas de envolvimento das comunidades, das instituições, dos atores e dos cidadãos nas práticas de governação do risco.
Objetivos da Aprendizagem e Competências a Desenvolver
O programa doutoral fomenta a formação avançada e a qualificação de recursos humanos nas áreas do planeamento e da análise do risco. O objectivo é fornecer uma formação sólida nas diversas áreas relacionadas com o risco, como a modelização de processos, o ordenamento do território, a mobilização dos indivíduos e das comunidades, assim como a articulação e a implementação de públicas públicas. O programa procura definir conceitos fundamentais e construir ferramentas que apoiem as políticas de gestão do risco que, para além das medidas estruturais e dos sistemas de emergência, incluem também medidas para a mitigação e a redução da vulnerabilidade social e instrumentos legais desenvolvidos no âmbito dos quadros de referência estratégicos internacionais e nacionais.
Os módulos teóricos e metodológicos oferecidos no programa estão configurados de forma a consolidarem o conhecimento científico de profissionais altamente qualificados, aumentando a sua capacidade para a aplicação autónoma e inovadora das capacidades de investigação nas actividades relacionadas com as ciências exactas, a engenharia, bem como as ciências sociais e políticas.
A coordenação do programa doutoral definiu um fluxograma de desenvolvimento do mesmo que incorpora tópicos de investigação e um envolvimento interdisciplinar com a sociedade civil, definindo como prioritários o desenho e a avaliação de políticas públicas nas áreas do planeamento, a cartografia e análise dos riscos naturais e tecnológicos, a análise da vulnerabilidade social e da comunicação do risco. Foi desenvolvido um quadro analítico que inclui a avaliação do risco, a percepção e avaliação do risco por parte dos indivíduos e das comunidades, a
participação dos actores relevantes e os níveis e processos de decisão na área do risco.
A monitorização dos estudantes e o grau de cumprimento dos objetivos do programa processam-se a três níveis:
(1) orientação curricular; (2) orientação de tutoria; e (3) integração em atividades científicas. 1) a orientação curricular é aplicada no ano de ingresso com a definição dos percursos dos estudantes e com a participação em
sessões de discussão de questões metodológicas e bibliográficas. Estas atividades permitem a avaliação das capacidades de cada estudante e das suas motivações para a aquisição das competências definidas no plano do programa de doutoramento. 2) A orientação tutorial concretiza-se na unidade curricular Seminário de Investigação, que culmina na apresentação, discussão e eventual aprovação do projeto de tese. Nos anos subsequentes o acompanhamento é feito pelos orientadores de tese e pelos coordenadores do curso. 3) Complementarmente, os estudantes participam de todas as atividades ligadas aos projetos de investigação em curso coordenados pelos docentes do programa TRPP.
Regime de Estudo
A tempo integral em regime presencial
Acesso a um Nível de Estudos Superior
Não se aplica
Condições de Acesso e Ingresso

As condições específicas de ingresso dos candidatos são:
a) Licenciatura e Mestrado em áreas relacionadas com o programa de doutoramento (60%); b) currículo científico
(20%); c) currículo profissional (20%).
A) os candidatos devem ter Licenciatura e Mestrado com classificação final de Bom, com apresentação de cartas de recomendação de especialistas na área temática do doutoramento. As áreas científicas de recrutamento preferenciais são: Sociologia e Geografia; Economia; Direito; Ciências da Terra; Arquitetura e Urbanismo; Biologia e Tecnologias de Proteção Ambiental.
B) comunicações ou artigos com avaliação e/ou participação em projectos e/ou outras actividades de mérito científico em áreas afins às Ciências do Risco.
C) cursos de formação avançada de curta duração ou cursos de pós-graduação em áreas afins às Ciências do Risco.

A informação disponibilizada não dispensa a consulta do Aviso de Abertura disponível nesta página.

Reconhecimento da Aprendizagem Prévia
O reconhecimento da aprendizagem prévia processa-se mediante apreciação da Comissão Científica do Curso a pedido dos candidatos, podendo originar o ingresso no percurso regular ou no percurso de investigação.
Enquadramento Legal da Qualificação
A qualificação tem enquadramento no Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de Março, alterado e republicado pelo DL n.º 107/2008, de 25 de Junho; Portaria n.º 782/2009, de 23 de Julho.
Saídas Profissionais
Os alunos detentores do diploma em Território, Risco e Políticas poderão exercer a sua actividade profissional no sector público ou privado nas seguintes áreas de actividade:
- planeamento e ordenamento do território
- avaliação do risco
- cartografia do risco
- vulnerabilidade social e políticas públicas
- protecção civil e segurança das populações
- planeamento de emergência
Regras de Avaliação e Classificação
Sendo a avaliação uma atividade pedagógica indissociável do ensino, destina-se a apurar as competências e os conhecimentos adquiridos pelos estudantes, o seu espírito crítico, a capacidade de enunciar e de resolver problemas, bem como o seu domínio da exposição escrita e oral. São admitidos a provas de avaliação os estudantes inscritos nas respetivas unidades curriculares no ano letivo a que as provas dizem respeito e, simultaneamente, inscritos nessas provas, quando tal inscrição for necessária, nos termos do nº 6 do artigo 4º do Regulamento Pedagógico da Universidade de Coimbra. Entendem-se por elementos de avaliação os seguintes exemplos: Exame escrito ou oral, testes, trabalhos escritos ou práticos, bem como projetos, individuais ou em grupo, que poderão ter de ser defendidos oralmente e a participação nas aulas. A avaliação de cada unidade curricular pode incluir um ou mais dos elementos de avaliação indicados anteriormente. A classificação de cada estudante, para cada unidade curricular, traduz-se num valor inteiro compreendido entre 0 e 20 valores e consideram-se aprovados os estudantes que obtiverem a classificação final mínima de 10 valores. Sempre que a avaliação de uma unidade curricular compreenda mais do que um elemento de avaliação, a nota final é calculada a partir das classificações obtidas em cada elemento de avaliação, através de uma fórmula tornada pública na ficha de unidade curricular, nos termos do nº 2 do artigo 7.º do RPUC.
Requisitos para Obtenção da Qualificação

O programa de doutoramento em Território, Risco e Políticas Públicas organiza-se segundo uma componente escolar no primeiro ano do ciclo de estudos (percurso normal ou percurso de projecto), a qual é complementada por uma componente investigativa de elaboração da tese que decorre nos três últimos anos do programa ou se inicia desde o primeiro ano do curso, mediante as adaptações de carácter excepcional. No percurso de investigação, os estudantes escolhem no primeiro ano três unidades curriculares do núcleo formativo e frequentam obrigatoriamente o Seminário de Investigação, até perfazer 30 unidades de crédito. Para a obtenção da qualificação todos os alunos devem obter um total de 240 ECTS.

Plano de Estudos
Percursos
Avisos de Abertura
Calendário
1º Semestre
Data de início: 14-09-2015
Data de início (primeiro ano): 14-09-2015
Data de fim: 19-12-2015
2º Semestre
Data de início: 08-02-2016
Data de fim: 31-05-2016
Acreditações
- A3ES
Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior
Período(s)
  • 2010-07-19 a 2016-07-18
R/A-Cr 188/2010 - DGES
Direcção Geral de Ensino Superior
Período(s)
  • 2010-11-03