a carregar...

Doutoramento em Patrimónios de Influência Portuguesa

Instituto de Investigação Interdisciplinar

abrir site outros cursos
Ano lectivo

2016-2017

Código DGES

5810

Tipo de Curso

3º Ciclo - Doutoramento

Qualificação Atribuída

Doutor

Duração

8 Semestre(s)

Créditos ECTS

240.0

Propina Anual

2500.0 €

Coordenador(es) do Curso

Maria Margarida de Sá Calafate Ribeiro (uc40605@uc.pt)

Walter Rossa Ferreira da Silva (wrossa@me.com)

Objetivos Gerais do Curso
A dimensão cultural da influência portuguesa no mundo é mais vasta que as dimensões geo-políticas que o Império teve. Os portugueses foram bem além dele, o que produziu transculturalidades intensas e difusas, celebradas e ocultas, ostensivas e sensíveis. Transculturalidades que o pós-colonialismo vai fragmentadamente absorvendo. É para catalisar o desenvolvimento e a integração do Conhecimento sobre tudo isso que criamos o Programa. São assim objetivos deste programa: promover e desenvolver o conhecimento avançado na área dos Patrimónios, numa perspetiva interdisciplinar; formar quadros altamente qualificados; criar uma rede estruturada em conhecimento específico na área capaz de dar resposta às solicitações institucionais de organismos públicos e privados, nacionais e internacionais; criar empregabilidade dedicada nas áreas científicas do doutoramento.
Objetivos da Aprendizagem e Competências a Desenvolver
Os doutorandos devem ter formações de base e curriculæ diversificados nas suas áreas científicas e geográficas de origem. Daí também a importância da internacionalização do Programa, com vista a construir uma rede de investigação e de ação científica e de formação na área de Patrimónios. Para além de objetivos gerais de formação avançada nos métodos de investigação e produção de conhecimento, espera-se que os estudantes desenvolvam capacidades de trabalho em grupo e em rede, criando assim um efeito multiplicador deste âmbito de estudos. Deverão ficar dotados de quadros culturais muito alargados sobre a temática central do curso, bem como sobre a geografia, os recursos, os locais e as narrativas que compõem esse universo cultural. Para isto será fundamental que desenvolvam uma sólida formação teórica sobre as temáticas da memória e da representação. É crucial que fiquem capacitados para o desenvolvimento de ações de cooperação nos vários domínios e territórios dos PIP.
Regime de Estudo
A tempo integral em regime presencial
Acesso a um Nível de Estudos Superior
N/A
Condições de Acesso e Ingresso

Podem candidatar-se todos os indivíduos que possuam um grau de mestre ou equivalente legal; titulares de um grau de licenciatura em qualquer disciplina nas Artes (incluindo Arquitetura), Ciências Sociais e Humanidades, com CV académico ou científico especialmente relevante e reconhecido pelo IIIUC como atestando as competências necessárias para a realização deste ciclo de estudos. As candidaturas abrem bienalmente. Os candidatos serão selecionados em concurso de acesso de acordo com os critérios seguintes: nota final de curso de licenciatura (3/20); classificação final do grau de Mestre e/ou outras habilitações académicas (3/20); adequação do 1 º e 2 º ciclos de ensino às exigências do 3 º ciclo (3/20); publicações / investigação (3/20); competências linguísticas em Português e em Inglês (1/20); currículo profissional, incluindo a experiência internacional (3/20); perfil/motivação do candidato (4/20). Os candidatos devem submeter uma carta de motivação e um projeto de investigação.

A informação disponibilizada não dispensa a consulta do Aviso de Abertura disponível nesta página.

Reconhecimento da Aprendizagem Prévia
N/A
Enquadramento Legal da Qualificação
A qualificação tem enquadramento no Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de Março, alterado e republicado pelo DL n.º 107/2008, de 25 de Junho; Portaria n.º 782/2009, de 23 de Julho.
Saídas Profissionais
N/A
Regras de Avaliação e Classificação
Sendo a avaliação uma atividade pedagógica indissociável do ensino, destina-se a apurar as competências e os conhecimentos adquiridos pelos estudantes, o seu espírito crítico, a capacidade de enunciar e de resolver problemas, bem como o seu domínio da exposição escrita e oral. São admitidos a provas de avaliação os estudantes inscritos nas respetivas unidades curriculares no ano letivo a que as provas dizem respeito e, simultaneamente, inscritos nessas provas, quando tal inscrição for necessária, nos termos do nº 6 do artigo 4º do Regulamento Pedagógico da Universidade de Coimbra. Entendem-se por elementos de avaliação os seguintes exemplos: Exame escrito ou oral, testes, trabalhos escritos ou práticos, bem como projetos, individuais ou em grupo, que poderão ter de ser defendidos oralmente e a participação nas aulas. A avaliação de cada unidade curricular pode incluir um ou mais dos elementos de avaliação indicados anteriormente. A classificação de cada estudante, para cada unidade curricular, traduz-se num valor inteiro compreendido entre 0 e 20 valores e consideram-se aprovados os estudantes que obtiverem a classificação final mínima de 10 valores. Sempre que a avaliação de uma unidade curricular compreenda mais do que um elemento de avaliação, a nota final é calculada a partir das classificações obtidas em cada elemento de avaliação, através de uma fórmula tornada pública na ficha de unidade curricular, nos termos do nº 2 do artigo 7.º do RPUC.
Requisitos para Obtenção da Qualificação

Elaboração e defesa de tese original

Plano de Estudos
Tronco comum
Áreas de especialização
Avisos de Abertura
Calendário
1º Semestre
Data de início: 12-09-2016
Data de fim: 22-12-2016
2º Semestre
Data de início: 06-02-2017
Data de fim: 31-05-2017
Acreditações
- A3ES
Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior
Período(s)
  • 2017-01-05 a 2020-01-04
R/A-Cr 50/2010 - DGES
Direcção Geral de Ensino Superior
Período(s)
  • 2010-07-14