Mestrado em Geografia Física - Ambiente e Ordenamento do Território

Objetivos do Curso

Este ciclo de estudos tem por objetivo dotar os estudantes das principais ferramentas teóricas e metodológicas para conhecimento e intervenção sobre os principais problemas e temáticas que fazem parte de uma Geografia Física enquanto campo de estudos e de investigação dinâmico e com fortes mudanças no mundo atual. Nesse sentido, pretendem-se especialistas capazes de identificação dos principais problemas territoriais que afetam os modelos atuais de desenvolvimento. Este curso tem por objetivo também formar especialistas com recursos práticos e instrumentais que permitam uma efetiva intervenção sobre esses problemas em territórios que vão dos rurais aos urbanos, em múltiplas escalas de análise. Neste curso, toda esta problemática se foca na valorização do ambiente, dos recursos naturais e dos suportes físicos pela influência que têm no ordenamento do território e na qualidade de vida das populações.

Condições de Acesso e Ingresso

Podem candidatar-se ao curso de 2º ciclo conducente ao grau de Mestre em Geografia Física- Ambiente e Ordenamento do Território:
-Titulares do grau de Licenciado nas áreas da Geografia;
-Titulares do grau de licenciado nas áreas de Turismo, Lazer e Património, Arqueologia, Geologia ou outras áreas da Universidade de Coimbra ou de Universidades europeias;
- Em casos excepcionais, devidamente justificados, titulares do grau de licenciado em outras áreas que apresentem um currículo considerado adequado à prossecução do ciclo de estudos pela Comissão Científica do Departamento de Geografia.

A informação disponibilizada não dispensa a consulta do Aviso de Abertura disponível nesta página.

Saídas Profissionais

Docência (diferentes níveis de ensino); Técnicos de planeamento e ordenamento do território; Técnicos e gestores estratégicos de programas e políticas ambientais (em diferentes escalas geográficas); Investigadores científicos avançados.

Regime de Estudo

O Curso é ministrado em horário diurno.

Regras de Avaliação

Sendo a avaliação uma atividade pedagógica indissociável do ensino, destina-se a apurar as competências e os conhecimentos adquiridos pelos estudantes, o seu espírito crítico, a capacidade de enunciar e de resolver problemas, bem como o seu domínio da exposição escrita e oral. São admitidos a provas de avaliação os estudantes inscritos nas respetivas unidades curriculares no ano letivo a que as provas dizem respeito e, simultaneamente, inscritos nessas provas, quando tal inscrição for necessária, nos termos do nº 6 do artigo 4º do Regulamento Pedagógico da Universidade de Coimbra. Entendem-se por elementos de avaliação os seguintes exemplos: Exame escrito ou oral, testes, trabalhos escritos ou práticos, bem como projetos, individuais ou em grupo, que poderão ter de ser defendidos oralmente e a participação nas aulas. A avaliação de cada unidade curricular pode incluir um ou mais dos elementos de avaliação indicados anteriormente. A classificação de cada estudante, para cada unidade curricular, traduz-se num valor inteiro compreendido entre 0 e 20 valores e consideram-se aprovados os estudantes que obtiverem a classificação final mínima de 10 valores. Sempre que a avaliação de uma unidade curricular compreenda mais do que um elemento de avaliação, a nota final é calculada a partir das classificações obtidas em cada elemento de avaliação, através de uma fórmula tornada pública na ficha de unidade curricular, nos termos do nº 2 do artigo 7.º do RPUC.

Objetivos da Aprendizagem e Competências a Desenvolver

- Capacidade de recolha, tratamento e análise de dados geográficos qualitativos, quantitativos e cartográficos que respeitem o ambiente e o ordenamento do território.
- Leitura dos principais problemas de desenvolvimento na atualidade, em múltiplas escalas geográficas.
- Análise da importância do ambiente e do ordenamento do território enquanto problema e enquanto potencial.
- Análise das principais dinâmicas territoriais recentes.
- Capacidade de projeção futura das principais dinâmicas territoriais.
- Organização de respostas e instrumentos de atuação sobre os desequilíbrios do desenvolvimento territorial.

Coordenador(es) do Curso

Adélia Jesus Nobre Nunes
adelia.nunes@fl.uc.pt

Coordenador de mobilidade

Isabel Maria Rodrigues de Paiva
uc36546@uc.pt

Reconhecimento da Aprendizagem Prévia

A avaliar mediante pedido.

Enquadramento Legal da Qualificação

A qualificação tem enquadramento no Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de março, alterado e republicado pelo DL n.º 107/2008, de 25 de junho; Portaria n.º 782/2009, de 23 de julho.

Requisitos para Obtenção da Qualificação

Conclusão com sucesso de cada um dos seminários curriculares do curso (1º ano). Elaboração e defesa pública de uma dissertação original de investigação ou estágio com respectivo relatório, também este sujeito a provas públicas (2º ano).

Acesso a um Nível de Estudos Superior

Doutoramento

Plano de Estudos

Geografia Física - Ambiente e Ordenamento do Território

Ano lectivo
2018-2019

Tipo de Curso
2º Ciclo - Mestrado de Continuidade

Código DGES: 6134

Qualificação Atribuída: Mestre

Duração: 2 Ano(s)

Créditos ECTS: 120.0

Categoria: Mestrado de Continuidade


Candidaturas

Avisos de Abertura


Calendário

1º Semestre
Data de início: 10-09-2018
Data de fim: 20-12-2018
2º Semestre
Data de início: 04-02-2019
Data de fim: 30-05-2019

Acreditações

Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior
2017-11-06 a 2018-11-05
Direcção Geral de Ensino Superior
2011-03-18