a carregar...

Mestrado Integrado em Medicina Dentária

Faculdade de Medicina

abrir site outros cursos
Ano lectivo

2017-2018

Código DGES

9548

Tipo de Curso

1º e 2º Ciclo - Mestrado Integrado

Qualificação Atribuída

Mestre

Duração

5 Ano(s)

Créditos ECTS

300.0

Categoria

Mestrado Integrado

Coordenador(es) do Curso

Isabel Cláudia Masson Poiares Baptista (icbaptista@fmed.uc.pt)

Coordenador(es) Departamental(ais) ECTS

Ana Teresa Carvalho Martins Corte Real Gonçalves (atgoncalves@fmed.uc.pt)

Nicole Melanie Farias Dourado (uc16934@uc.pt)

Objetivos Gerais do Curso
O ciclo de estudos de Mestrado Integrado em Medicina Dentária (MIMD) tem por objectivo formar o Médico
Dentista, de acordo com o perfil e as competências definidas para os países europeus, nomeadamente: a) desenvolver autonomamente e com grande eficácia a actividade de médico dentista; b) estar motivado e preparado para participar de forma activa na sua formação contínua ao longo da vida; c) estar preparado para participar eficazmente em actividades de comunicação e divulgação científica na área da medicina dentária e afins; d) integrar equipas de investigação clínica em medicina dentária; e) integrar equipas de investigação laboratorial em
medicina dentária; f) participar na definição e execução de políticas de saúde no que refere à medicina dentária; g) participar em actividades de gestão referentes à prática da medicina dentária.
Objetivos da Aprendizagem e Competências a Desenvolver
Os objetivos de aprendizagem no final do curso cumprem a caracterização do perfil e competências do Medico Dentista na Europa, elaborado pela Council of European Dentists (CED, 2009) e estão detalhados em cada uma das fichas das unidades curriculares. Os objectivos de aprendizagem podem ser categorizados em seis domínios interdisciplinares: 1 - Profissionalismo, Ética e Comunicação (tratamento baseado na evidência científica, formação profissional contínua, autoavaliação, encaminhamento, conhecimento e aplicação de princípios éticos e do quadro jurídico da EU e nacional; 2 - Organização e Gestão prática, Gestão do Conhecimento (Segurança e saúde dos profissionais que integram o grupo de trabalho, incluindo ergonomia e ambiente de trabalho, segurança dos doentes e segurança ambiental); 3 - Avaliação do paciente, diagnóstico, plano de tratamento; 4 – Tratamento, estabelecimento e manutenção da saúde oral (dor e gestão da ansiedade, anestesia e sedação, materiais dentários, tratamento cirúrgico e farmacológico, terapia de lesões de cárie, endodôntica, periodontal, oclusal e musculoesquelética, ortodôntica, odontopediátrica, restauradora / prostodontica, de medicina e patologia orais; emergências médicas e orais, imagiologia); 5 – prevenção e promoção de saúde e Saúde pública (adopção de uma abordagem preventiva em todos os procedimentos, educação em saúde oral do doente individualmente e envolvimento com a comunidade).
De uma forma muito genérica, no final dos 5 anos do curso, o estudante adquiriu competências para prevenir, diagnosticar e tratar as alterações e patologias mais comuns dos dentes, da boca, dos maxilares e outros tecidos associados, de forma autónoma, numa prática de medicina dentária não tutelada. Acrescida uma outra dimensão de inter-relacionamento interpessoal, com competências de trabalho em equipa e com outros profissionais de saúde envolvidos no cuidar holístico dos doentes. É também reforçada a necessidade de formação contínua ao
longo da sua vida profissional.
Os objetivos de aprendizagem de cada unidade curricular (FUCs) estão disponíveis para consulta no sistema de informático da UC (inforestudante) e a caracterização como competências práticas e teóricas permite a sua monitorização e avaliação. O Gabinete de Educação Médica (GEM) da FMUC realiza regularmente diversas formações (cursos TIPS e folhetos Educare) de modo a melhorar e clarificar o estabelecimento dos objectivos de aprendizagem.
Regime de Estudo
O Curso é ministrado a tempo integral ou parcial, em regime presencial e horário diúrno
Acesso a um Nível de Estudos Superior
A qualificação dá acesso `profissão de Médico Dentista e a formação de nível superior, nomeadamente a estudos de terceiro ciclo (Doutoramento).
Condições de Acesso e Ingresso

Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior.
Pré-Requisitos: Grupo A - Comunicação interpessoal.
Provas de Ingresso: um dos seguintes conjuntos: (02) Biologia e Geologia e (07) Física e Química ou (02) Biologia e Geologia e (19) Matemática A
Classificações Mínimas: nota de candidatura: 140 pontos; provas de ingresso: 140 pontos
Fórmula de Cálculo: Média do secundário: 50%; Provas de ingresso: 50%.

A informação disponibilizada não dispensa a consulta à página da Direção Geral do Ensino Superior (DGES) e/ou a página dos Candidatos. Consultar página web da DGES e dos Candidatos

Reconhecimento da Aprendizagem Prévia
Aplica-se o disposto no Artigo 45º do Decreto –Lei nº 74/2006, de 24 de Março, com a redacção que lhe foi dada pelo DL nº107/2008, de 25 de Junho
Enquadramento Legal da Qualificação
A qualificação tem enquadramento no Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de Março, alterado e republicado pelo DL n.º 107/2008, de 25 de Junho; Portaria n.º 782/2009, de 23 de Julho
Saídas Profissionais
Carreira Médica, Investigação e a Docência.
Regras de Avaliação e Classificação
Sendo a avaliação uma atividade pedagógica indissociável do ensino, destina-se a apurar as competências e os conhecimentos adquiridos pelos estudantes, o seu espírito crítico, a capacidade de enunciar e de resolver problemas, bem como o seu domínio da exposição escrita e oral. São admitidos a provas de avaliação os estudantes inscritos nas respetivas unidades curriculares no ano letivo a que as provas dizem respeito e, simultaneamente, inscritos nessas provas, quando tal inscrição for necessária, nos termos do nº 6 do artigo 4º do Regulamento Pedagógico da Universidade de Coimbra. Entendem-se por elementos de avaliação os seguintes exemplos: Exame escrito ou oral, testes, trabalhos escritos ou práticos, bem como projetos, individuais ou em grupo, que poderão ter de ser defendidos oralmente e a participação nas aulas. A avaliação de cada unidade curricular pode incluir um ou mais dos elementos de avaliação indicados anteriormente. A classificação de cada estudante, para cada unidade curricular, traduz-se num valor inteiro compreendido entre 0 e 20 valores e consideram-se aprovados os estudantes que obtiverem a classificação final mínima de 10 valores. Sempre que a avaliação de uma unidade curricular compreenda mais do que um elemento de avaliação, a nota final é calculada a partir das classificações obtidas em cada elemento de avaliação, através de uma fórmula tornada pública na ficha de unidade curricular, nos termos do nº 2 do artigo 7.º do RPUC.
Requisitos para Obtenção da Qualificação

Para conclusão do ciclo de estudos deverá o estudante realizar um Projecto de Investigação com 10 ECTS, sendo o número total de créditos, necessários obtenção do grau ou diploma - 300 ECTS - 10 semestres - 5 anos

Plano de Estudos
Avisos de Abertura
Calendário
1º Semestre
Data de início: 11-09-2017
Data de fim: 21-12-2017
2º Semestre
Data de início: 05-02-2018
Data de fim: 30-05-2018
Acreditações
- A3ES
Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior
Período(s)
  • 2011-12-12
R/A-Ef 1679/2011 - DGES
Direcção Geral de Ensino Superior